Pan será a grande oportunidade do tae kwon do aparecer

Será no Pan do Rio que o tae kwon do terá a grande chance de se tornar conhecido pelos brasileiros - apesar de o País contar com a atual campeã mundial, Natália Falavigna. Na última edição, em São Domingos, em 2003, a modalidade trouxe duas medalhas de bronze, ambas no masculino. ?O Pan será uma ferramenta importante nesse processo de ajuda na divulgação do nosso esporte. Apesar de os nossos atletas estarem se profissionalizando, a modalidade ainda é amadora. As pessoas no Brasil conhecem judô e caratê, mas o tae kwon do ainda não?, admite Marcelino Soares, vice-presidente da Confederação Brasileira de Tae Kwon Do.Os atletas ganham da entidade cerca de R$ 600 como ajuda de custo. ?Mas aqui ninguém luta por dinheiro, é pelo prazer, pelo amor ao esporte. Nesse último ciclo, conquistamos cerca de 60 medalhas em diversos torneios internacionais?, enumera Marcelino, que também é o coordenador da modalidade no Pan do Rio.Apesar das dificuldades que os lutadores enfrentam para se manter competitivos, o dirigente garante: ?Muita coisa mudou nestes quatro anos. Antes, não havia nutricionista, preparador físico, psicólogos... Hoje, temos tudo isso e brigaremos por todas as oito medalhas - quatro nas categorias femininas e quatro nas masculinas.?No total, a modalidade conquistou sete medalhas em Jogos Pan-Americanos - uma de ouro, duas de prata e quatro de bronze.Natália, o destaque brasileiro, segue pesada rotina de treinos em Londrina. Apesar da ansiedade pelo Pan, diz que não mudou o planejamento só por causa da competição carioca. ?O ano de 2006 foi de treinamento muito intenso. Este ano estamos lapidando tudo o que já fizemos. O que tinha de ser feito já fizemos, agora é manter?, ressalta. Mas não prevê facilidade no Rio. ?Os outros países ainda não definiram suas representantes. Mas não descarto ninguém: Venezuela, Canadá, Estados Unidos, Cuba...?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.