Para delegado, quebra-cabeça está quase pronto

"Pelos depoimentos até agora, me parece que o disparo foi feito pela própria vítima. A única contradição é se ele (Adriano) manuseou a arma ou não antes do disparo", disse no início da tarde o delegado de plantão da 16ª DP, Carlos Cesar Santos. Ele já tinha ouvido o depoimento de três mulheres e do tenente Julio Cesar Barros de Oliveira, que estavam no carro.

/ F.W., O Estado de S.Paulo

25 de dezembro de 2011 | 03h01

O delegado seguiu para o Hospital Barra D'Or para tomar o depoimento da vítima, que acusa o jogador de ser o autor do disparo acidental, e aproveitou também para ouvir o jogador do Corinthians, que esteve no local. Adriene sofreu fratura exposta na mão esquerda e teria de passar por uma cirurgia, mas seu estado de saúde era bom.

Se confirmada a acusação feita pela vítima, Adriano poderá responder pelo crime de lesão corporal culposa, com pena de 6 meses a 2 anos de prisão. Ele não foi localizado pela reportagem para comentar o caso.

A direção do Corinthians afirmou que dará todo o suporte jurídico ao jogador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.