Para Marcos, é só mais um clássico

Experiente, goleiro não considera dérbi um jogo especial

Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

01 de março de 2008 | 00h00

O ano de 2007 foi perfeito para o Palmeiras no quesito clássico contra o Corinthians. Em três jogos, três vitórias (uma no Estadual e duas no Brasileiro) e nenhum gol sofrido. Diego Cavalieri, então com a camisa 12, foi o goleiro nas duas partidas do Nacional - Marcos estava machucado. Recuperado, o pentacampeão mundial com a seleção, em 2002, fará hoje seu sétimo jogo no ano, o primeiro clássico da temporada. E tentará fazer com que o Palmeiras siga sem ser vazado pelo rival.Torcedores palmeirenses se lembram bem da semifinal da Taça Libertadores de 2000, quando Marcos defendeu cobrança de pênalti do corintiano Marcelinho Carioca e classificou o time para a decisão. Um dos grandes momentos do goleiro, que evita, porém, falar que o dérbi tenha sabor especial. "Não tem essa de especial, temos de vencer como qualquer outro jogo", disse o agora camisa 12 - a número 1 foi para Diego. "Claro que clássico é sempre mais visto, mas não adianta só ganhar do Corinthians e achar que está tudo bom."A cobrança do goleiro já é corriqueira. E se torna mais presente devido à situação da equipe, com apenas 16 pontos em 11 jogos. Marcos sabe que o elenco é bom - bem melhor do que nos últimos anos - e que a colocação atual não é a desejada. "Claro que estamos devendo (boas apresentações). No mínimo deveríamos estar entre os quatro mais bem classificados", disse o atleta de 34 anos. "Entre contratar e fazer um bom time, demora um pouco. Sabemos que dá para melhorar, é só questão de entrosamento."Recuperado na lesão no braço esquerdo que o deixou fora de inúmeras partidas no ano passado, Marcos começou 2008 treinando forte para recuperar a posição de titular. O técnico Vanderlei Luxemburgo, logo que chegou ao Palmeiras, falou da importância do experiente goleiro para a equipe. Na 7ª rodada do Estadual, Diego Cavalieri voltou para a reserva e a torcida palmeirense, finalmente, pôde ver um de seus maiores ídolos em ação.Marcos não tem decepcionado, apesar da pífia reestréia - 3 a 0 para o Guaratinguetá. Ele tem atuado bem e acredita que uma vitória hoje dará ânimo maior aos jogadores palmeirenses. "Vencer um clássico dá moral", admitiu. "Vai ser um jogo difícil. O Corinthians quer a vitória para se firmar e o Palmeiras para encostar (no G4). Não tem moleza."Marcos elogia o time corintiano, que se reforçou e deixou para trás o tormento da queda no Brasileiro. "Não importa em que divisão eles estejam, temos sempre de respeitar." Assim, respeitoso e sereno, Marcos espera sair com os três pontos hoje do Morumbi. Quase um ano depois de seu último clássico contra o Corinthians.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.