Mario Anzuoni/Reuters
Mario Anzuoni/Reuters

Para o dalai-lama, Tiger Woods precisa de mais fé

Líder político e religioso do Tibete comenta situação do golfista e diz que ele errou ao cometer adultério

AP,

22 de fevereiro de 2010 | 19h58

Para o dalai-lama, líder político e religioso do Tibete, o norte-americano Tiger Woods pode reestruturar sua carreira através da fé - o golfista entrou em crise após a revelação de dezenas de casos de adultério.

 

Na última sexta-feira, Woods afirmou que renegou sua fé budista ao cometer o adultério.

 

"Todas as religiões têm a mesma ideia sobre o adultério", explicou o dalai-lama. "Seja no budismo ou em outra religião, a disciplina pessoal é algo muito importante. É preciso ter uma disciplina com a consciência das consequências."

 

Ainda sem previsão de retorno ao golfe, Woods admitiu em sua entrevista de sexta-feira que precisava recuperar a concentração para encontrar o equilíbrio entre a religião e a vida pessoal.

Tudo o que sabemos sobre:
GolfebudismoTiger Woodsdalai-lama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.