Para Paul Tergat, Quênia pode se recuperar com Cross Country

Atleta acredita que país esquecerá episódios de violência se conjunto conquistar o título mundial na Escócia

Efe,

01 de março de 2008 | 15h17

O corredor queniano Paul Tergat, cinco vezes campeão da São Silvestre, acredita que a conquista do bicampeonato do Mundial de Cross Country pode melhorar a situação do país, que vive episódios de violência política desde o fim do ano passado. O queniano, cinco vezes campeão mundial de cross country, considera que campeonatos deste porte podem servir "para unir a nação". O Quênia sofre com distúrbios decorrentes do resultado das eleições presidenciais de 27 de dezembro de 2007, que foram acusados de serem fraudulentos pela oposição local. Os conflitos já deixaram mais de mil mortos. Tergat, que é ex-recordista mundial da maratona, afirmou que um dos objetivos dos atletas quenianos é recuperar o título individual da prova de 12 quilômetros - cuja última vitória foi dele mesmo, em 1999. "Quatro semanas são suficientes para fazer uma equipe vencedora, mas é preciso trabalhar intensamente", declarou o atleta em alusão à data do mundial, que será disputado em Edimburgo, na Escócia, no próximo dia 30.

Tudo o que sabemos sobre:
Paul TergatAtletismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.