Para Poliana, companheiros mereciam primeira medalha

Poliana Okimoto já era a brasileira com maior número de medalhas em Campeonatos Mundiais de esportes olímpicos. Nesta quinta-feira, ela ampliou a sua coleção com o bronze na prova por equipes do Mundial de Esportes Aquáticos de Barcelona, chegando pela sexta vez ao pódio. Só na Espanha, foi a terceira medalha dela, a terceira de metais diferentes.

AE, Agência Estado

25 de julho de 2013 | 08h52

Mas se para a agora atleta do Minas Tênis Clube a conquista é mais uma, para Allan do Carmo e Samuel de Bona, que compuseram a equipe com Poliana, a medalha é inédita. Nenhum outro brasileiro jamais havia subido ao pódio em provas de maratona aquática em Campeonatos Mundiais.

"Estou muito feliz. Esses meninos mereciam demais essa medalha. O Allan começou junto comigo, quando a gente era iniciante em maratona. Eles dois merecem demais. Estou muito feliz de poder comemorar com eles", comemorou Poliana Okimoto, em entrevista ao SporTV.

Allan tinha a opção de não nadar a prova. Sétimo colocado nos 10km, segunda-feira, ele ainda vai nadar os 25km no próximo sábado. Não quis descanso e escolheu nadar por equipes nesta quinta, mesmo sabendo que Luis Rogério Arapiraca estava pronto para substituí-lo - e inclusive constava na start lista da prova. O baiano foi recompensado com o bronze.

"A primeira vez a agente nunca esquece. Desde o inicio a gente confiou na medalha, fez uma estratégia, montou tudo direitinho. Está todo mundo de parabéns: eu, Poliana, Samuel. Vamos pros 25km, descansado, para que venha um grande resultado", comentou ele.

O gaúcho Samuel de Bona, que ao lado de Allan é há alguns anos o melhor nome da maratona aquática brasileira, mas nunca havia estado entre os grandes do mundo, também era só felicidade com a medalha. "Eu não tenho nem palavras. A gente confiou nessas prova, fez um trabalho excelente e conquistamos essa medalha. A Poliana já tem várias, mas para mim e para o Allan é a primeira em Mundial."

Esta é a segunda vez em que a prova por equipes é realizada num Mundial (a primeira foi em Xangai/2011) e a primeira que o Brasil sobe ao pódio. Poliana chegou à sua sexta medalha: foi prata nos 5km e nos 10km no Mundial de Maratonas Aquáticas de 2006, bronze nos 5km no Mundial de Esportes Aquáticos de 2009, em Roma, e agora, em Barcelona, ela já havia faturado o ouro nos 10km, distância olímpica, e a prata nos 5km.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.