Reprodução
Reprodução

Para rival de vaga no Rio, Anderson Silva no tae kwon do é 'piada'

'Não passa de brincadeira, marketing pessoal', diz Guilherme Felix

DEMÉTRIO VECCHIOLI, Estadão Conteúdo

16 de abril de 2015 | 14h53

Número 18 do ranking mundial da categoria +80kg do tae kwon do, o brasileiro Guilherme Felix demonstrou, nesta quinta-feira, que os atletas da modalidade não digeriram bem a notícia de que o lutador de MMA Anderson Silva está disposto a disputar uma vaga nos Jogos Olímpicos do Rio-2016.

Principal nome do País na categoria em que Anderson supostamente lutaria, Guilherme Felix desabafou pelo Facebook e classificou como "piada" a ideia. "Vamos parar com a brincadeira! Eu e a maioria dos atletas de tae kwon do estamos cansados dessa polêmica do Anderson Silva dizer que vai tentar vaga pros Jogos Olímpicos. Não tenho nada contra ele e nem o conheço pessoalmente, mas esse tema é motivo de piada", escreveu Guilherme, que logo depois deletou a postagem.

"Ele (Anderson Silva) pode tentar, assim como qualquer um devidamente filiado e regularizado pode tentar. Muitos levando isso a sério, mas pra mim não passa de brincadeira, marketing pessoal dele. Todos estão falando de forma cautelosa, eu cansei. Se ele quer mesmo disputar a vaga pros Jogos, que venha. O risco é dele e acho que vai ter que se preparar muito pra não passar vergonha. Estou ansioso! Aqui não vai ter mais piadinha e brincadeira com coisa séria", dizia o restante da postagem.

Na segunda-feira, a Confederação Brasileira de Tae Kwon do (CBTKD) publicou carta de Anderson Silva ao presidente da entidade, Carlos Fernandes, em que afirma ter vontade de disputar os Jogos do Rio-2016 e se coloca à disposição. No texto, o lutador rasga elogios ao cartola, que não tem apoio da maioria dos atletas da modalidade.

Antes, na quinta-feira da semana passada, a CBTKD havia anunciado que um dos quatro convites aos quais o Brasil tem direito no tae kwon do olímpico como dono da casa será utilizado na categoria +80kg. Assim, Anderson Silva não precisaria obter a classificação pelos critérios regulares - terminar o ranking olímpico entre os seis primeiros do mundo.

A CBTKD, porém, não explicou se Anderson, que sequer é filiado à Federação Internacional de Tae Kwon Do (WTF, na sigla em inglês), entraria zerado na disputa interna pela vaga, tendo que começar pelos campeonatos estaduais até chegar à seleção e, só depois, lutar contra os melhores atletas da categoria. Fora da seleção de 2015, ele não tem como obter pontos no ranking para passar Guilherme Felix, por exemplo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.