Paraguai chega às quartas pela 1ª vez

Após sofrida vitória contra o Japão nos pênaltis, equipe enfrenta a favorita Espanha na próxima fase do Mundial

Jamil Chade, Wilson Baldini Jr., O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2010 | 00h00

ENVIADOS ESPECIAIS

PRETÓRIA

No pior confronto das oitavas de final da Copa do Mundo, o Paraguai superou o Japão na decisão por pênaltis e agora terá a dura missão de enfrentar a Espanha na próxima fase. Em um dos jogos mais fracos tecnicamente do Mundial da África do Sul, os paraguaios venceram os japoneses por 5 a 3 nos pênaltis após 120 minutos de um jogo sem gols. Agora são quatro os sul-americanos entre os oito melhores. Brasil, Argentina e Uruguai já haviam se classificado.

"Argentina e Brasil continuam sendo os grandes favoritos, depois vem a gente", brincou o técnico argentino Gerardo Martino, que não conteve as lágrimas com o resultado inédito do futebol paraguaio. "Estamos muito felizes, juntamente com todo o povo do Paraguai. A seleção precisa de maiores desafios para seguir progredindo a cada competição."

Apesar da felicidade paraguaia e do orgulho japonês por ter sido eliminado após "demonstrar um futebol digno", segundo o técnico Takeshi Okada, a partida foi de muita correria, passes errados, lançamentos equivocados e poucos momentos de emoção. Pela primeira vez na Copa, as insuportáveis vuvuzelas foram importantes para não deixar que algum torcedor mais cansado com a maratona de jogos acabasse dormindo nas arquibancadas do Estádio Loftus Versfeld, em Pretória.

O primeiro bom momento do jogo só ocorreu aos 20 minutos. Barrios quase abriu o placar. O Japão respondeu com Matsui, que acertou longo chute no travessão. Mas isso foi exceção durante a partida. A se destacar apenas a preparação física dos times. Os jogadores continuaram a correr bastante, mesmo na prorrogação. Tentavam as jogadas, mas erravam quase todas, para desespero de Martino e Okada, que não paravam de fazer caretas no banco de reservas.

Na disputa de pênaltis, foram nove cobranças, apenas o lateral-direito Komano errou, ao acertar o travessão. Ironia do destino. Logo ele, que tinha apresentado uma produção razoável. Apesar do erro do jogador, Okada assumiu o fracasso. "Sou o responsável por não termos vencido", afirmou.

O Paraguai festejou o feito, mas sabe que, diante da Espanha, não poderá repetir o péssimo desempenho. "Das quatro partidas que disputamos no Mundial, em três atuamos como protagonistas. Chegou a hora de atuar diferente", disse Martino.

"A Espanha vai querer o domínio da partida e vai abrir espaços para que possamos jogar. Poderemos surpreender", disse o treinador, que não encara a missão de sábado, em Johannesburgo, às 15h30, como impossível.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.