Paraguai testa a aflição uruguaia e defende a ponta

Em Montevidéu, líder não será ameaçado nem com derrota; a Celeste precisa vencer para manter chance

, O Estadao de S.Paulo

28 de março de 2009 | 00h00

Na cômoda situação de líder isolado das Eliminatórias Sul-Americanas com 23 pontos, não correndo risco de ser ultrapassado por nenhum adversário nem mesmo em caso de derrota hoje, o Paraguai enfrenta o Uruguai, às 17 horas, em Montevidéu, prevendo jogo aberto. Isso porque seu adversário ocupa a 5ª colocação, com 13 pontos, três a menos que Argentina e Chile - 3º e 4º colocados, respectivamente -, ambos com 16, e não pode desperdiçar a chance de atuar em casa.O técnico uruguaio Oscar W. Tabárez definiu a equipe com quatro volantes para reforçar o meio-campo, com Diego Forlán e Luis Suarez na frente. O ataque uruguaio, aliás, é a principal esperança da seleção celeste. Com 19 gols, é o melhor da competição. O Paraguai vem em seguida, com 18. A diferença maior, porém, está na defesa. Enquanto os paraguaios sofreram apenas 6 gols até agora - a melhor defesa do torneio -, os uruguaios já levaram dez.E, para complicar, os uruguaios ainda têm um sério desfalque hoje. O goleiro titular Castillo, do Botafogo, está se recuperando de lesão e não joga. Seu reserva imediato, Sebastián Viera, do Villarreal, não vem atuando com regularidade pela equipe espanhola, mas tem mais experiência internacional do que Martín Silva, do Defensor, e Rodrigo Muñoz, do Nacional, os outros dois candidatos.Por sorte, o Paraguai também terá um desfalque de peso. O atacante Roque Santa Cruz está machucado. Seu substituto deve ser Oscar Cardozo, do Benfica. Na defesa, Júlio Cáceres se recuperou de um problema muscular e vai jogar.A partida está marcada para as 17 horas, no Estádio Centenário, e são esperadas mais de 40 mil pessoas nas arquibancadas.ARGENTINA X VENEZUELANa Argentina, o técnico Maradona, que faz sua estreia em partidas oficiais, destaca que espera ver sua seleção "ganhando, gostando e goleando". Empolgado, faz previsões arrojadas para o confronto de hoje. "Espero que meus jogadores saiam aplaudidos do estádio." E avisa: "Quero que a Argentina ataque a Venezuela. Temos de fazer pesar nossa história, tirando proveito dessa força que conseguimos ao longo dos anos."Maradona prepara uma formação bastante ofensiva. O ataque terá Messi, Tevez e Agüero, com Maxi Rodríguez e Jonás Gutiérrez nas laterais. Sem Riquelme, com quem teve problemas, Maradona pretende dar total liberdade para Messi, Tevez e Agüero confirmarem a grande fase que vivem na Europa. COLÔMBIA X BOLÍVIAO técnico colombiano Eduardo Lara disse ontem que seus jogadores sabem da necessidade de uma vitória contra a Bolívia. "A ideia é jogar com tranquilidade e inteligência, sem desespero, porque precisamos lembrar que a Bolívia conseguiu um bom resultado como visitante diante do Brasil (0 a 0, no Rio) e é um time muito perigoso", disse. A Colômbia não pode desperdiçar a chance de se aproximar dos quatro primeiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.