Paraguaios exaltam Ronaldo: 'Carnaval do Rei Momo'

Imprensa local elogia atuação do Fenômeno na vitória sobre o Cerro, mas faz ironias em relação à sua forma física

, O Estadao de S.Paulo

19 de março de 2010 | 00h00

ASSUNÇÃO

A foto de Ronaldo estampou todos os cadernos de esportes do Paraguai ontem. Os jornais de Assunção fizeram questão de se render ao talento e ao faro de gol do jogador, que tanto os zagueiros do Cerro Porteño desdenharam. O Fenômeno acabou sendo decisivo na vitória do Corinthians, por 1 a 0, ao marcar o gol no Defensores del Chaco.

"Carnaval del Rey Momo", trouxe a manchete do Diário Crônica, numa alusão aos quilinhos a mais do jogador associada ao carnaval paraguaio, que aconteceu sábado. Com sutileza, o jornal soube brincar com Ronaldo. A legenda da foto que tomou metade da página também elogiava o Fenômeno. "Mostrou seu peso: apareceu apenas uma vez para acabar com o sonho azul-grená. Por isso é Ronaldo."

Como não podia deixar de ser, os comentários sobre Ronaldo eram inevitáveis. Numa banca de jogo de bicho ? no Paraguai elas ficam no meio da rua ? dois senhores brincavam. "Tá vendo, com 120 quilos ele foi melhor que todos os jogadores do Cerro", disse um deles. A resposta? "Também sou gordinho e minha mulher sempre me elogia."

O Última Hora, jornal maior de Assunção, trouxe manchete sobre o Cerro: "Perto da eliminação" e, na crônica, elogios à postura dos visitantes. "Corinthians foi superior tecnicamente." Esqueceu de Ronaldo? Jamais. "Ronaldo foi decisivo. Um descuido e o jogador marcou o gol." Os elogios ao Fenômeno seguiam no ABC Color, La Nación...

Já os defensores do Cerro que haviam desdenhado de Ronaldo, seguiram com ar de pouco caso ao falar do jogador. Depois de Herner dizer que "em campo ele é um jogador comum", ontem foi a vez de Torrén ignorá-lo. "Ronaldo fez a diferença?", perguntou o repórter da Fox Sports. "Perdemos por causa de uma bola parada", respondeu o zagueiro, que não acompanhou o atacante na hora do gol.

Aprovação. Mano Menezes fez questão de engrandecer a postura de seu craque. "Sempre soubemos que um jogador como esse não fica tanto tempo sem marcar gols (em sete jogos, Ronaldo havia marcado uma vez). Estou satisfeito com o rendimento dele não apenas por ontem, mas também com o que ele tinha feito no sábado." Nos 2 a 1 diante do Santo André, Ronaldo teve chances de marcar e participou dos lances dos dois gols do time.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.