Paraolimpíada de Pequim, a nova festa dos chineses

Um dia depois da festa de encerramento dos Jogos Olímpicos, Pequim começa a preparar-se para a Paraolimpíada, o próximo grande evento da capital chinesa. Os hotéis e alguns centros esportivos relacionados com a disputa já começaram a trocar suas faixas e slogans de boas-vindas aos competidores e jornalistas do mundo todo. A disputa começará dia 6 setembro. O Brasil estará representado por 187 atletas, e participará de 14 das 17 modalidades em disputa. É a maior delegação brasileira em uma mesma competição. O Comitê Paraolímpico Brasileiro (CPO) tem como desafio quebrar o recorde de conquistas da última edição dos Jogos, em Atenas, quatro anos atrás. Naquela ocasião, o País festejou 14 medalhas de ouro, 12 de prata e 7 de bronze. Embora o time brasileiro queira se superar, o CPO não estipulou nenhuma meta para Pequim. Os chineses já deram início à faxina geral dos locais de provas. Os organizadores não medirão esforços para atender a todas as necessidades das delegações e do público. Os Jogos Paraolímpicos terão o mesmo formato da Olimpíada.O desafio dos chineses é realizar mais esse evento sem nenhum sobressalto. Também apostam na participação do público em todas as provas, mesmo que para isso tenham de distribuir entradas nos ginásios.Aos todo, serão 3 mil medalhas em disputa (mil para cada colocação). Todas serão fornecidas pela mesma mineradora australiana que preparou as medalhas dos Jogos Olímpicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.