Parisi guarda um segredo nos saltos ornamentais

Atleta de Brasília, recuperado de uma contratura muscular, ensaia uma manobra especial no trampolim

PAULO FAVERO, ENVIADO ESPECIAL / LONDRES, O Estado de S.Paulo

20 de julho de 2012 | 03h10

O brasiliense Hugo Parisi preparou uma manobra inédita que só usará nos Jogos de Londres caso chegue à final da competição na plataforma 10 metros dos saltos ornamentais. Ele vinha treinando o quatro e meio de frente grupado, um salto no qual ele dá quatro voltas e meia antes de chegar à água.

"Se chegar na final, terei de arriscar mais. Tenho de fazer algo diferente para tentar um resultado melhor", diz Parisi.

Ricardo Moreira, técnico do atleta, concorda com o rapaz. "É um salto que outras pessoas no mundo fazem, mas poucos ainda têm um domínio dele. As pessoas ainda erram bastante e se ele chegar numa final, podemos arriscar", afirma, lembrando que o maior objetivo de Parisi é ficar entre os 12 melhores da Olimpíada na modalidade.

O grande problema na preparação do atleta foi que ele se lesionou em um momento importante do treinamento, quando estava preparando esse novo salto.

"A gente começou a treinar, mas com a lesão que tive no pescoço, tivemos de parar. Então decidimos que para as eliminatórias e semifinais não vamos tentar introduzir este salto", afirma o atleta.

Por causa da contratura muscular no pescoço, Parisi acabou praticando menos o salto. Ele está em sua terceira Olimpíada na carreira, mas sabe que isso não garante uma prova impecável.

"Estou na minha terceira Olimpíada, sou experiente e maduro, mas nada garante que não vou errar. Isso faz parte", comenta Parisi, garantindo que vai estar 100% no dia de competição, na primeira semana de agosto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.