Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Parque Aquático Julio Delamare está fora da Olimpíada do Rio

Oficialização acontece após reunião de Comitê Rio-2016 e COI

MARCIO DOLZAN, Estadão Conteúdo

21 de maio de 2015 | 16h48

O parque aquático Julio Delamare foi excluído dos Jogos Olímpicos de 2016. A informação foi confirmada nesta quinta-feira pelo presidente do Comitê Rio-2016, Carlos Arthur Nuzman, após participar de uma série de reuniões com membros do Comitê Olímpico Internacional (COI), no Rio.

A retirada do Julio Delamare da Olimpíada havia sido sinalizada pelo secretário da Casa Civil do estado do Rio, Leonardo Espíndola, um dia antes. O parque aquático fica dentro do Complexo do Maracanã e receberia provas preliminares de polo aquático. Para isso, o custo de sua reforma poderia chegar a R$ 60 milhões. O valor, além do atraso para iniciar a adequação das instalações para os Jogos, acabou motivando a exclusão.

"O polo aquático sai do Julio Delamare realmente, e vai ser ou no Maria Lenk, ou em Deodoro, que tem a piscina pronta do pentatlo moderno", confirmou Nuzman. "Nós temos uma preferência, que seria no Maria Lenk, porque haveria um número mais concentrado de eventos em um local só". A definição deve sair em até duas semanas.

Nuzman também garantiu que o estádio do Maracanã não passará por nenhum tipo de reforma para receber a cerimônia de abertura, ideia que havia sido cogitada à época da concessão do estádio à iniciativa privada. "A cerimônia de abertura vai ser no Maracanã do jeito que ele está. O Maracanã vai ser exatamente como ele está", sentenciou Nuzman.

Tudo o que sabemos sobre:
Rio-2016OlimpíadaJulio Delamare

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.