Divulgação
Divulgação

Prova de inclusão lota o Parque do Ibirapuera

Segunda edição da 'Inclusão a Toda a Prova - Corrida e Caminhada' teve 18 pessoas

Estadão Conteúdo

04 de dezembro de 2016 | 13h29

No dia Internacional da Pessoa com Deficiência, muitas pessoas acordaram cedo para ir ao Parque do Ibirapuera participar da segunda edição da 'Inclusão a Toda a Prova - Corrida e Caminhada'. A prova é uma iniciativa do Instituto Olga Kos de Inclusão Cultural e teve 18 mil inscritos.

Com duas opções de percurso - uma de 10 quilômetros, para corrida, e outra de 6,1 quilômetros tanto para corrida como para caminhada - , a prova teve início às 7h30 horas, e conseguiu reunir e divertir todos seus participantes.

“Eu acho essa corrida muito importante pela inclusão social. Às vezes tem prova que não aceitam, não deixam a gente correr, mas é fantástico, uma iniciativa muito boa. Eu vim com meu filho, que é cadeirante e ele tem mielomeningocele. A gente pratica esporte, ele pratica natação, basquete de cadeira de rodas e corrida também. A gente adora correr e é a nossa primeira corrida juntos”, conta o analista comercial Julio Alexandre Pinto da Silva.

Fundado em 2007, o IOK desenvolve projetos artísticos e esportivos voltados para a inclusão de quase 3.500 deficientes intelectuais, como, por exemplo, autismo ou síndrome de Down. Também são atendidas pessoas sem deficiência, mas que se encontram em situação de vulnerabilidade social e moram em regiões próximas aos locais onde oficinas são realizadas.

Cristiane Rodrigues conta que seu filho Pedro, de 10 anos, teve um grande avanço no relacionamento com outras pessoas depois ter começado aulas de tae-kwon-do.

“Para mim esta corrida está sendo maravilhosa, porque para ele que não tinha expectativa de andar e hoje ele está participando de uma caminhada e isso para mim é maravilhoso, não tenho nem o que falar”, explica. “Faz três meses que ele faz oficina no instituto e já vejo evolução, pois ele está tendo mais contato com outras crianças, coisa que ele não aceitava. Agora ele já cumprimenta, brinca, já tem um contato diferente.”

O mesmo relato foi feito por Alexandra Santos de Paula ao ver a forma como a filha Alice, de 7 anos está envolvida e adaptada as oficinas.

“O esporte mudou minha filha pela forma de conversar, comunicação dela junto com os amigos, porque antes ela era muito reservada. Ai a partir do momento que ela começou a participar das oficinas, ela aprendeu muito a lidar com as pessoas especiais também que precisam. Então Graças a Deus ela está muito comunicativa. Esse evento é muito bom, porque incentiva os pais a virem, as crianças a observarem umas às outras e acaba um pouco com o preconceito. Ajuda muito a eles perceberem que todos nós somos iguais, independente de sermos especiais ou perfeito”.

Com 12 mil inscritos em sua primeira edição e 18 mil na segunda, a 'Inclusão a Toda a Prova - Corrida e Caminhada' já figura entre as principais corridas de rua da cidade de São Paulo. A vice-presidente do IOK, Dra. Olga Kos, fez questão de agradecer aos presentes ao falar sobre a importância do evento.

“Esse grande brilho dessa grande festa é de vocês. Sem vocês aqui isso não estaria acontecendo. Muito obrigada a todos por abraçarem a nossa causa, a causa das pessoas com deficiência, pela inclusão e por tudo que eles podem acrescentar para a gente de bom, porque eles têm muita, muita coisa para ensinar para gente. E em março tem mais”, finalizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.