Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Parreira admite que Brasil pode poupar jogadores

Seleção está classificada às semis e precisa de um empate para garantir 1.º lugar do Grupo A

AE, Agência Estado

20 de junho de 2013 | 14h37

FORTALEZA - O coordenador técnico da

Parreira garantiu também que a comissão técnica da seleção brasileira mantém a confiança em Fred, apesar do centroavante ainda não ter feito gols na Copa das Confederações, enquanto seu reserva imediato, Jô, marcou duas vezes - o próprio Jô, porém, já garantiu que não pensa em ser titular.

"É um jogador de presença de área, que define. Ele está participando, fez os passes. É um jogador que a comissão técnica confia. Os gols vão acontecer naturalmente. Ele não é obrigado a fazer gol, é obrigado a desempenhar bem. Não existe nenhuma pressão em cima do jogador", disse Parreira, descartando qualquer mudança no ataque.

O coordenado técnico aproveitou para descartar qualquer associação entre o momento turbulento político do Brasil, com manifestações em várias capitais, e o atual momento da seleção. E destacou o apoio que a equipe recebeu no Castelão, na vitória por 2 a 0 sobre o México, na última quarta-feira.

"Futebol e política não se misturam. Vimos uma participação emocionante do torcedor em Fortaleza, um apoio integral. E emocionou de uma forma impressionante os jogadores", disse. "A camisa amarela tem ser mantida afastada de qualquer tipo de situação que não seja esportiva", comentou.

Assim, ele espera que a seleção brasileira continue dando alegrias ao torcedor na sequência da Copa das Confederações. "A melhor contribuição que a seleção pode dar, diante disso tudo que está acontecendo, é vencer os jogos e dar alegria ao torcedor", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.