Parte médica é com os americanos

Procedimento é para evitar inexperiência dos organizadores. Haverá 180 profissionais de saúde em todo o circuito

Milton Pazzi Jr., O Estadao de S.Paulo

13 de março de 2010 | 00h00

EM CIMA DA HORA - Como o Anhembi só estará pronto hoje, não houve tempo para simulações de resgate na pista. Um centro médico, porém, está montado ao lado do circuito

Se um piloto da Fórmula Indy sofrer acidente e precisar de atendimento médico durante a etapa de São Paulo da Fórmula Indy, ele será atendido pelos médicos americanos da Indy Racing League (IRL), a organizadora da competição. Depois disso, uma equipe médica brasileira prestará todo o auxílio.

Esse procedimento foi adotado para evitar que a falta de experiência em atendimento em competições automobilísticas como essa, além da impossibilidade de simulações e treinos na pista - já que o circuito de rua do Anhembi só estará pronto a poucas horas do primeiro treino - dificulte o trabalho.

Para garantir que tudo ocorra como estão acostumados, a IRL trouxe até um contêiner com equipamentos específicos. O serviço é dividido com os americanos porque a empresa responsável na Indy não é a mesma que faz os atendimentos no GP do Brasil de Fórmula 1 e tem mais de dez anos de trabalho. Na parte estrutural, não falta tanta experiência à Amil, que já prestou serviços à categoria quando a prova era no Rio, no oval de Jacarepaguá.

"Nós montamos um centro médico e fornecemos os equipamentos em dobro ao que nos foi pedido, o que agradou bastante", reforça Francisco de Andrade Souto, médico responsável durante a prova. Serão 180 profissionais da saúde espalhados pelo circuito, com UTIs móveis espalhadas pelo Anhembi.

Para garantir que o atendimento é o melhor, a empresa deslocou médicos que trabalham no trânsito caótico da capital paulista e em atendimentos nas estradas da região, bastante movimentadas e com muitos acidentes registrados.

Em caso de necessidade por um acidente mais grave, dois helicópteros estarão preparados para transporte direto ao hospital Paulistano, que fica próximo à avenida Paulista, na zona sul.

O centro médico montado no Anhembi, ao lado do Pavilhões de Exposições, tem três leitos e capacidade para realizar ao menos dois atendimentos de emergência simultâneos. Ao longo do circuito, foram instalados seis postos de atendimento para o público.

As corridas de Fórmula Indy tem histórico de acidentes fortes, mas em circuitos ovais. Com o avanço tecnológico, os casos foram bastante reduzidos nos últimos 20 anos. A última morte foi em 2006 - Paul Dana, no oval de Miami. A anterior foi em 1999, em Charlotte, também nos EUA, quando a roda de um carro escapou e atingiu 11 espectadores, matando três.

O QUE ELE DISSE

Francisco A. Souto

médico responsável pelos atendimentos na Indy em São Paulo

"Nós montamos um centro médico no circuito do Anhembi e fornecemos os equipamentos em dobro

ao que nos foi pedido pela organização da Indy, o que agradou bastante aos organizadores"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.