Matt Dunham/AP
Matt Dunham/AP

Partido de direita grego rejeita expulsão de atleta na Olimpíada

Paraskevi Papachristou, do salto triplo, foi retirada da seleção grega depois de comentário racista

Harry Papachristou, Reuters

26 de julho de 2012 | 09h18

O partido de direita grego Aurora Dourada criticou nesta quinta-feira a expulsão de uma atleta da Olimpíada de Londres por causa de um tuíte anti-Africano, dizendo que isso reflete um "racismo contra os gregos".

Paraskevi Papachristou, praticante do salto triplo, foi retirada da seleção grega na quarta-feira depois de causar revolta em seu país com um comentário sobre o vírus do Nilo Ocidental e o número de africanos na Grécia, o que foi visto como racista.

O Aurora Dourada, que surfou na onda do sentimento anti-imigrante na Grécia traumatizada pelas medidas de austeridade e surpreendeu conquistando vagas no parlamento no mês passado, protestou contra sua exclusão.

"O único racismo na Grécia é o racismo contra os gregos", afirmou o partido em seu site, que também mostra uma fotografia de Papachristou com uma grande bandeira grega.

"Qualquer um que diga sequer uma palavra contra imigrantes ilegais é publicamente ridicularizado", acrescentou a agremiação.

"Seria mais honesto aprovar uma lei condenando qualquer um que tenha visões diferentes sobre a morte por apedrejamento".

Vários outros partidos pequenos e políticos também criticaram a decisão da equipe olímpica, dizendo ter sido excessiva.

"Acredito que foi exagerado expulsar Papachristou, especialmente depois que ela se desculpou", tuitou Adonis Georgiadis, um parlamentar conservador.

Mas outros defenderam a decisão. "Sua desculpa foi da boca para fora", afirmou o jornal Ta Nea, o maior da Grécia, em um editorial.

Outros veículos de mídia também criticaram Papachristou por tuítes nacionalistas no mês passado, entre eles um no qual ela supostamente saudou Ilias Kasidiaris, porta-voz do Aurora Dourada, e desejou que ele continue sendo "verdadeiro". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.