Pato recebe 'presente' e agradece ao chefe

Atleta não era escalado por Mano Menezes desde o dia 15 de fevereiro

MANCHESTER, O Estado de S.Paulo

30 de julho de 2012 | 03h05

Alexandre Pato ganhou um belo presente ontem de Mano Menezes. Pela manhã, algumas horas antes da partida contra a Bielorrússia, o treinador chamou o atacante do Milan para avisá-lo de que ele seria titular. Em outras circunstâncias, isso seria algo corriqueiro, mas para um jogador que passou os últimos meses lutando contra uma inacreditável sequência de lesões a notícia chegou a ser emocionante.

Pato não era escalado como titular desde o dia 15 de fevereiro, quando esteve entre os 11 jogadores do Milan que iniciaram a partida contra o Arsenal, pela Copa dos Campeões da Europa: o time italiano venceu aquele jogo por 4 a 0. De lá para cá, tudo o que Pato fez foi ficar entre os reservas, isso quando não estava no departamento médico do Milan, evidentemente. Pela seleção, a última partida como titular foi um amistoso contra a Alemanha disputado em agosto do ano passado.

À felicidade de ter finalmente voltado a iniciar uma partida em campo somou-se a alegria de ter feito um gol, o primeiro da virada brasileira sobre a Bielorrússia. Por isso Pato sorria tanto enquanto dava entrevistas depois da partida.

"Finalmente consegui fazer o gol que estava guardado", disse o jogador. "Quando o Mano me disse que eu jogaria, falei para ele que estava pronto. Tenho de agradecer muito a ele porque ele tem me protegido bastante. Eu precisava jogar, estou muito satisfeito."

Dois atacantes. A entrada de Pato foi uma surpresa que Mano guardou até quando faltava menos de uma hora para a partida começar. Mais tarde, o treinador explicou que trocou Leandro Damião pelo atacante do Milan

"As características do jogo favoreciam o Pato, que tem uma característica diferente do Damião. Ele trabalha melhor a bola pelo chão, é óbvio", disse Mano. "Mas eu preciso dos dois", acrescentou o técnico, com o claro objetivo de não dar pistas sobre a disputa entre Pato e Damião, que tem chance de voltar ao time contra a Nova Zelândia. Damião também está em dívida com a seleção. / M.S.A

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.