Steve Marcus/AFP
Steve Marcus/AFP

Patrocinadores mantêm apoio a Anderson Silva e aguardam fim do caso

Principais marcas que estampam a camisa do atleta do UFC avisam que não pretendem deixá-lo na mão até o desfecho final

PAULO FAVERO, O Estado de S. Paulo

05 de fevereiro de 2015 | 21h04

É muito comum, quando um atleta é pego no exame antidoping, que seus patrocinadores se afastem em repúdio. Mas os parceiros do lutador Anderson Silva decidiram dar um voto de confiança para o brasileiro, que teve um teste positivo para uso de esteroides antes da luta principal do UFC 183, em Las Vegas. As principais marcas que estampam a camisa do atleta já avisaram que não pretendem deixá-lo na mão.

Para a luta do último sábado, Anderson Silva contou com cinco patrocinadores: Suco do Bem, Hotel Urbano, Furnas, Budweiser e Viber. E todos eles evitaram pular do barco neste momento. O Hotel Urbano, por exemplo, divulgou uma nota em auxílio ao lutador. "Agência de viagens oficial do UFC no Brasil e patrocinador do retorno do lutador Anderson Silva à maior competição de artes marciais mistas do planeta, o Hotel Urbano informa que seguirá apoiando o atleta da melhor forma possível neste momento", disse.

A empresa garantiu que confia no atleta. "O Hotel Urbano confia na integridade e profissionalismo do seu patrocinado e acredita que este episódio será devidamente esclarecido o mais breve possível. Dono de uma trajetória exemplar, Anderson Silva é um ídolo do esporte brasileiro e considerado por muitos o maior lutador de MMA da história", continuou.

Furnas, por exemplo, fez um patrocínio pontual para o combate do UFC 183 e explicou que Anderson Silva é um embaixador de um programa educativo da empresa. Já a Budweiser, principal marca do atleta e que patrocina também o reality show The Ultimate Fighter Brasil, prefere esperar para se posicionar. "A Budweiser informa que não se pronunciará nesse momento", afirmou a empresa em nota.

De qualquer maneira, os desdobramentos do caso ainda serão sentidos também pelos patrocinadores nos próximos dias. Como está sendo acusado de ter usado esteroides anabolizantes antes da luta, após ter sido pego no exame antidoping, Anderson Silva terá de se defender e explicar a situação, além de pedir uma contraprova do exame.

Tudo o que sabemos sobre:
MMAUFCAnderson Silvadopinglutas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.