Patrocínio milionário para a temporada: da ilusão à realidade

De volta à Série A do Campeonato Brasileiro, com sua torcida dando demonstrações de paixão e fidelidade a cada partida e ainda com Ronaldo Fenômeno vestindo a camisa 9, o Corinthians previa um 2009 de cofres cheios. Imaginava patrocinadores disputando o direito de estampar sua marca na camisa. Pois, estranhamente, o clube foi o único dos grandes a estrear no Paulista ainda sem o patrocínio definitivo para a temporada. E, pior, com as contas já ameaçadas.No amistoso de apresentação do time, sábado, contra o Estudiantes, ainda sem Ronaldo, a camisa exibida no Pacaembu mostrava três empresas: Ford, Vivo e Locaweb. Era, segundo o departamento marketing, um "negócio de ocasião", já que o jogo teria televisão aberta. O clube vibrou, já que arrecadou, no total, somando-se televisão e placas publicitárias, algo em torno de R$ 1 milhão.Sem conseguir um contrato de um ano, a alternativa foi repetir a dose na estreia no Estadual, ontem, contra o Barueri, apresentando a camisa com outro "negócio de ocasião". Desta vez, porém, bem mais modesto, com apenas um patrocinador, e na manga: Locaweb, que teria pago R$ 150 mil. No domingo, contra o Bragantino, em Bragança Paulista, novamente com televisão aberta, a diretoria tenta conseguir ao menos mais uma empresa para estampar a camisa. Nos bastidores, porém, o sonho é mais ousado. Na semana passada, a diretoria confirmou a negociação com a Caixa Econômica Federal, mas não houve interesse do banco. O nome da Nestlé também ganhou força, contudo o acordo não se concretizou. Agora, outras quatro empresas aparecem cotadas: Emirates Airlines, Ocean Air, Carrefour e Oi. As duas últimas, inclusive, se encaixariam no perfil que o patrocínio na camisa corintiana poderia oferecer, já que trabalham diretamente com o público consumidor de todas as classes sociais.Enquanto o acordo não ocorre, o Corinthians segue renegociando as dívidas. Nesta semana, pagou a parcela de um acordo trabalhista com Nilmar, com atraso de 20 dias, e espera conseguir o dinheiro para quitar a primeira parcela da contratação do zagueiro argentino Escudero - US$ 500 mil (cerca de R$ 1,17 milhão).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.