Paulo Assunção tenta repetir feito de Lugano

Paulo Assunção tenta repetir feito de Lugano

Sem consultar ninguém, Juvenal Juvêncio fechou contratação do volante marcador e com muitos títulos na carreira

Fernando Faro, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2012 | 03h08

Há nove anos, o então presidente Marcelo Portugal Gouvêa bancou sozinho a contratação de um jovem zagueiro uruguaio desconhecido para pôr fim aos problemas defensivos do São Paulo. Pouco tempo depois, Diego Lugano conquistou a vaga de titular e saiu do anonimato para se tornar um dos maiores ídolos recentes da torcida.

O presidente agora é Juvenal Juvêncio, mas o roteiro é bastante parecido. Sem consultar ninguém, ele fechou a contratação de Paulo Assunção, volante marcador e com muitos títulos na carreira. Sua chegada tem como principal objetivo dar fim aos muitos problemas de marcação no meio-de-campo, setor que tem seus dois titulares (Wellington e Fabrício) machucados e é atualmente o foco de maior preocupação para Ney Franco.

Se a contratação dará certo ou não ainda é uma incógnita, mas a exemplo de Lugano, Assunção não dá bola para o rótulo de "jogador do presidente" e diz que já enfrentou coisas piores. "Fui campeão sete vezes no Porto e, quando cheguei no Atlético (de Madrid), disse que estava lá para ser campeão. Minha mulher até me deu bronca, falando que eu estava louco porque eles não ganhavam nada, mas acabamos sendo campeões da Liga Europa depois de 48 anos", afirmou.

Contratado por um ano, o atleta apenas espera estar regularizado para estrear. Ney Franco conta com ele. "Vim para ajudar com a minha experiência, sei que isso é importante pelo fato de ter jogado muito tempo fora."

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.