Paulo Roberto de Paula ratifica índice e se aproxima da Olimpíada na maratona

Faltando apenas três finais de semana para o encerramento do período de classificação para os Jogos Olímpicos do Rio na maratona, Marilson Gomes dos Santos e Paulo Roberto de Paula seguem com as duas vagas restantes na delegação brasileira entre os homens.

DEMÉTRIO VECCHIOLI, Estadão Conteúdo

11 de abril de 2016 | 08h17

No domingo, Marilson participou do evento-teste dos Jogos Olímpicos do Rio. Correu cerca de 20km e depois relaxou, aproveitando a competição apenas para conhecer o percurso. Ele tem a melhor marca de qualificação entre os brasileiros: 2h11 cravados, tempo feito em Hamburgo, na Alemanha, há quase um ano.

Paulo Roberto de Paula segue em segundo do ranking, com 2h11min02. No domingo, ele foi nono colocado da Maratona de Viena, na Áustria, novamente correndo abaixo do índice: 2h13min58, resultado que seria suficiente para deixa-lo no terceiro lugar do ranking nacional.

Por enquanto, o único brasileiro garantido na Olimpíada na maratona é Solonei Rocha da Silva, que vai aos Jogos porque ficou entre os 20 primeiros na maratona do Mundial de Atletismo de Pequim, no ano passado, quando foi 18.º colocado. De qualquer forma, é ele o terceiro do ranking nacional, com 2h13min15.

Em quarto aparece Giovani dos Santos, que correu para 2h14min41 na Maratona de Milão, na Itália, no primeiro domingo do mês. Mais oito brasileiros têm índice, mas só seriam convocados em caso de lesão dos classificados.

De qualquer forma, até o encerramento do prazo de qualificação, serão realizadas diversas maratonas de alto nível, incluindo as de Boston, dia 18, e de Londres, dia 24. Quem quiser ir para a Olimpíada tem que correr pelo menos em 2h11min01.

FEMININO - Entre as mulheres as três primeiras do ranking seguem sendo Adriana Aparecida da Silva (2h35min28), Marily dos Santos (2h37min25) e Graciete Moreira (2h38min33). Rosangela Faria é a quarta da lista, mas não tem mais como melhorar. Ela correu o Sul-Americano de Maratona, no domingo, em Montevidéu, mas a prova era lenta e, apesar do pódio, em terceiro, o tempo foi ruim: 2h48min31.

Como na maratona o período de recuperação do atleta é amplo, Rosângela não deverá correr mais nenhuma prova até o fim do prazo de classificação. Ela segue em quarto, com o tempo de 2h38min40, feito em Buenos Aires, no ano passado. Quinta da lista, Sueli Pereira está suspensa por doping.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.