Paz corintiana em jogo na Ressacada

Perda da invencibilidade e aproximação dos rivais obrigam o líder a ganhar do Avaí em Florianópolis, algo inédito na história

Fábio Hecico, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2011 | 00h00

O Corinthians esnoba a palavra pressão. Garante seguir em paz apesar da perda da invencibilidade na rodada passada. Mas o líder do Campeonato Brasileiro entra em campo hoje, às 16 horas, diante do Avaí, na Ressacada, em estado de alerta. Numa semana em que podia ter aberto nove pontos do vice-líder, nada deu certo e os principais rivais se aproximaram, ameaçando a então tranquila primeira posição.

Se dar bem em Florianópolis, onde somou só um ponto em três confrontos contra o Avaí, virou questão de honra. "Temos de respeitar e competir por igual com o Avaí. Precisamos, no mínimo, ter o mesmo nível de competitividade para depois lutar para ser melhor e buscar a vitória", enfatiza o técnico Tite.

O discurso de respeito se faz necessário pela ética do futebol, bem ensaiada por Tite. Contudo, a meta corintiana é não dar chances a um adversário na zona de rebaixamento e de quem muitos, certamente, vão roubar pontos mesmo atuando em sua casa.

Ano passado o título não veio e muito por causa dos tropeços diante dos times da zona de rebaixamento. O Corinthians não conseguiu ganhar, fora de casa, de nenhum dos quatro rebaixados de 2010. Agora, já bateu o Atlético-GO e espera mostrar a mesma força diante do Avaí. Na sequência, ainda pega o América-MG e o Atlético-PR, também entre os piores da competição.

Uma boa chance para voltar a reinar absoluto na tabela. Mas que não pode servir de motivação, pois tem grande chance de se transformar em soberba.

Tite, então, inovou na forma de como vai cobrar seus jogadores por um triunfo - seria o 10.º.

Ele usará o apoio da torcida e as palmas na derrota para o Cruzeiro. "Essa confiança me dá mais motivação. Temos de retribuir quem nos dá esse carinho mesmo após sentir dor", afirma. "Isso coloca um peso maior no técnico e nos atletas. É duro perder, ficou engasgado (cair contra o Cruzeiro). Precisamos render bem nos próximos jogos por nós e por nossa torcida", diz.

"Os adversários diminuíram a pontuação, mas a gente vai tentar aumentá-la novamente na Ressacada", afirma o lateral-esquerdo Fábio Santos, de volta após cumprir suspensão.

Ele retorna, mas a equipe ainda terá muitos desfalques em Florianópolis, todos por contusão: Júlio César, Alessandro, Chicão, Wallace e Liedson.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.