''Pegaram o Cristian para bode expiatório''

Uma desobediência que vai dar dor de cabeça. Assim o Corinthians trata o gesto de Cristian no jogo com o São Paulo. Dirigentes combinaram, na Federação Paulista, que não haveria hostilidade nas semifinais. O volante não cumpriu, mostrou os dedos médios à torcida rival e, agora, além de encarar o Tribunal Desportivo, virou alvo de inquérito na Polícia Civil.Os advogados do clube acham correto o jogador responder na esfera esportiva, mas desaprovam a atitude do delegado Antonio Carlos Barbosa, do 23º DP. "Estão pegando o Cristian para bode expiatório", disse Sérgio Alvarenga, diretor jurídico do Corinthians. "Pelo que li, acho a investigação inoportuna. O direito penal não pode apurar com tanta importância algo tão pequeno", afirmou. "Um julgamento na Justiça Desportiva já é suficiente."O delegado requisitou as imagens da TV e recortes de jornais. Vai ouvir o volante, dirigentes e outros atletas. O caso foi incluso no artigo 40 da Lei de Contravenções Penais, que prevê prisão de 15 dias a 6 meses. Mas a pena pode ser convertida em ações comunitárias. "Fui pego de surpresa, mas o Corinthians temgente competente para cuidar disso", disse Cristian. "Estou tranquilo, existem coisas piores para se ir preso." O volante vai dar explicação amanhã no TJD e corre o risco de até 10 jogos de suspensão. Keirrison também fez o gesto após gol do Palmeiras em fevereiro e nada ocorreu.DIA DE MICHAEL JORDANEm uma de suas entrevistas, Ronaldo chegou a se comparar ao astro da NBA Michael Jordan, decisivo nas conquistas do Chicago Bulls nos anos 90. Falava sobre frieza na hora de definir jogadas. Ontem, o atacante mostrou que também sabe jogar com as mãos. Após os trabalhos físicos no miniginásio do Parque São Jorge, no qual aprimorou a velocidade de curta distância, desafiou o pessoal para um joguinho de basquete. Ao lado do massagista Alex, disputou uma partida contra o fisioterapeuta Bruno Mazzioti e o preparador físico Marcos Lima.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.