Peirsol confirma supremacia nos 200 m

O americano Aaron Peirsol confirmou nesta sexta-feira, no Mundial de Esportes Aquáticos de Montreal, no Canadá, sua supremacia nos 200 m costas, que começou no Mundial de Fukuoka, em 2001. Peirsol nadou a distância em 1min54s66, melhorando o próprio recorde mundial, 1min54s74, de julho de 2004. Nos 100 m livre feminino, o ouro foi para a australiana Jodie Henry (54s18).Nas eliminatórias deste sábado, Flávia Delaroli será a única brasileira nos 50 m livre, a partir das 10h30 (de Brasília), com SporTV 2. Rebeca Gusmão está em Montreal, mas não vai nadar a prova - a atleta, que treina em Coral Springs, nos EUA, chegou ao Canadá reclamando de torção no joelho. Após ressonância magnética, o ortopedista do Brasil, Cláudio Cardone, disse que a atleta tinha estiramento na coxa direita, mas poderia nadar. Nesta sexta, a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos confirmou que ela teve alta, mas preferiu não nadar. "Cheguei achando que tinha sido algo grave. Tive o melhor tratamento, mas agora o problema é psicológico. Não me sinto segura", disse Rebeca.Na Olimpíada de Atenas, em 2004, Flávia nadou os 50 m livre em 25s17 (foi 7ª). O recorde mundial é da holandesa Inge de Bruijn (24s13, de 2000), que não está no Mundial. Na quarta-feira, Flávia disputou os 50 m costas como preparação para hoje. "A ansiedade antes de provas importantes não acaba. Por isso, fiz os 50 m costas. Os 50 livre são adrenalina total." Para a nadadora do Pinheiros, os tempos, hoje, serão fortes e próximos. "Umas 15 ou 20 atletas têm desempenho parecido, o que torna a disputa complicada. "Mas prometeu nadar "querendo matar uma delas para chegar na frente".No masculino, Fernando Scherer foi mal na eliminatória dos 50 m livre. Ficou em 24.º lugar (22s81). "Nadei os 50 m livre a vida inteira. Vou ter de treinar muito, a partir de agora, por causa do Pan", disse, referindo-se aos Jogos do Rio, em 2007.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.