Pela manutenção de um sonho

O Palmeiras almeja o título e a Portuguesa, a permanência na elite. Um deles acordará menos otimista amanhã

Daniel Akstein Batista, O Estadao de S.Paulo

24 de agosto de 2008 | 00h00

Em 2002, Palmeiras e Portuguesa passaram por um de seus maiores vexames ao caírem para a Série B do Campeonato Brasileiro. O Alviverde conseguiu a vaga na elite já no ano seguinte, mas desde então não teve forças para brigar pelo título. A Lusa, ao contrário, só retornou este ano - e veio com o intuito de não sair mais. Mas está difícil. Hoje, às 16 horas, no Pacaembu, os times vão a campo com objetivos diferentes. O Palmeiras ainda sonha com a conquista do título, enquanto os visitantes precisam vencer para se afastar da zona de descenso.Os 22 pontos conquistados em 21 rodadas credenciam a Lusa a uma das vagas de rebaixado. O time, em 17º, já trocou de técnico (Vagner Benazzi por Valdir Espinosa) e de nada adiantou. Situação oposta à do Palmeiras: tem 37 pontos e acredita que o título é possível.O problema alviverde tem sido a constante oscilação no campeonato. Ganha um jogo, perde outro. E só não se complicou de vez porque o líder Grêmio (44 pontos) vacilou no meio de semana e perdeu para o Flamengo. Hoje, além de vencer a Lusa, o clube ficará na torcida para que os gaúchos tropecem novamente, contra o Náutico."A vantagem que o Grêmio abriu se deve aos pontos conquistados fora de casa", disse Vanderlei Luxemburgo, lembrando que seu time não tem atuado bem quando a partida é longe do Palestra Itália.Apesar de o Palmeiras ser o mandante, o clássico será disputado no Pacaembu por conta de acordo feito entre as duas diretorias. No 1º turno, o confronto também foi no estádio municipal, e até hoje Luxemburgo lamenta o empate por 1 a 1. Segundo ele, aquele jogo não traz boas lembranças e o time não poderia ter perdido pontos: abriu 1 a 0, desperdiçou pênalti, jogou melhor e... cedeu a igualdade.Dos 11 jogadores que iniciaram a partida do 1º turno, apenas quatro vão ser titulares hoje: Marcos, Leandro, Martinez e Alex Mineiro. O time sofreu várias modificações nesses três meses. Valdivia foi embora, Léo Lima perdeu a vaga de titular, a zaga mudou - e, apesar de contestados nas últimas rodadas, Jéci e Gladstone foram mantidos por Luxemburgo. São quatro desfalques no jogo: o lateral Elder Granja e o volante Pierre estão machucados; Léo Lima e Jumar, suspensos. O técnico deve escalar a equipe que treinou sexta-feira, com Fabinho Capixaba na lateral direita e Martinez e Sandro Silva como volantes. Do meio para a frente jogam Diego Souza, Evandro, Kléber e Alex Mineiro.Vencer a Portuguesa é tido como obrigação, após a goleada sofrida para o Inter, por 4 a 1, na quarta-feira. Alguns torcedores, que mantinham a esperança do título e estavam confiantes, perderam a paciência com o último revés e picharam muros da Academia e do Palestra. Com uma boa apresentação hoje, o time pode reconquistar a confiança dos palmeirenses. Mas se nova derrota vier, e o Grêmio vencer, os planos do clube vão mudar: o objetivo passará a ser conquistar uma vaga na Taça Libertadores. Pouco para quem sonhava este ano ganhar mais do que o Estadual.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.