Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Pela seleção, Luis Fabiano promete manter equilíbrio

Com fama de indisciplinado, atacante quer chamar a atenção de Felipão para a Copa das Confederações

PAULO FAVERO, O Estado de S.Paulo

27 de fevereiro de 2013 | 02h06

SÃO PAULO - O atacante Luis Fabiano garante que a fama de bad boy vai ficar para trás. Sem ter sido expulso na temporada, o jogador tenta apagar o rótulo de "indisciplinado" e já traçou uma meta audaciosa para o ano: tomar apenas um cartão vermelho. "Meu objetivo em relação aos cartões é tentar tomar, no máximo, um vermelho em toda temporada. De repente quando tiver de matar uma jogada, não sei. Mas por reclamação dificilmente vou tomar", avisa o artilheiro.

Sua missão é chamar a atenção do técnico Luiz Felipe Scolari, da seleção brasileira, apenas pelos gols que faz e não por suas atitudes com a arbitragem. O jogador sabe que em ano de Copa das Confederações não pode bobear. "As pessoas estão acostumadas a me ver com o sangue quente e quando estou mais calmo todo mundo estranha. Estou tentando ter uma conduta de reclamar menos e vou fazer de tudo para ser bonzinho", explica o atacante do São Paulo.

Neste ano, ele tomou apenas um cartão amarelo, contra o Bolívar, no Morumbi. Em todas as outras partidas passou em branco. Em 2012, por exemplo, Luis Fabiano foi expulso duas vezes e tomou 16 cartões amarelos, a maioria por reclamação. Ele lembra que faz de tudo para se segurar e espera que Felipão esteja de olho. "Esse ano é importante pela Copa das Confederações. Tenho vários objetivos e não quero deixar passar por causa de indisciplina. Quero estar no grupo e me manter calmo."

Pelo sonho de estar na seleção, ele garante que não vai sair do São Paulo e pretende cumprir seu contrato até o fim, negando que tenha recebido uma proposta do Anzhi, da Rússia. "Para mim não chegou nada. Tenho mais dois anos e vou cumprir. Acho que essa é a grande oportunidade de conseguir um título da Libertadores e me cobro muito por isso. Quero ficar marcado de vez na história do São Paulo."

Além de querer ficar nos trilhos e fazer parte do elenco que disputará a Copa das Confederações e o Mundial de 2014 no Brasil, Luis Fabiano também tem outra meta ambiciosa: tornar-se o maior artilheiro da história do São Paulo. Ele tem 162 gols e está na sexta posição, atrás de Luizinho (173), França (182), Teixeirinha (189), Gino Orlando (233) e Serginho Chulapa (242). Fabuloso acha que é possível superar Chulapa. "Acho que dá para chegar. Se não me machucar, é possível", conclui o atleta, que quer diminuir a diferença amanhã, contra The Strongest.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.