Fabian Bimmer/AP
Fabian Bimmer/AP

Pelé e Cielo ressaltam 'transformação' por Jogos no Rio

Os dois apontam para os ganhos do lado social com a realização de uma Olimpíada na América do Sul

AE-AP, Agencia Estado

30 de setembro de 2009 | 09h27

Pelé, o maior jogador de futebol de todos os tempos, e César Cielo, maior nadador da história da natação brasileira, pediram aos membros Comitê Olímpico Internacional (COI) que escolham o Rio de Janeiro como sede dos Jogos Olímpicos de 2016. Os dois acreditam que a realização do evento pode mudar a vida dos jovens brasileiros e também para transformar as perspectivas dos jovens de toda a América do Sul, que nunca recebeu uma edição da competição.

Veja também:

blog BATE-PRONTO - Apoiar ou criticar o Rio?

linkPelé mira medalha de ouro na Olimpíada

linkDobradinha Copa-Olimpíada é boa para o mercado, diz dirigente   

linkLula fará apelo emocional no discurso de apoio

linkGovernador diz que Blatter já definiu voto no Rio

especialESPECIAL - Tudo sobre as cidades candidatas

especialRIO 2016 - Mais sobre a campanha pelos Jogos

O Rei do Futebol afirmou nesta quarta-feira, em Copenhague, na Dinamarca, que o esporte mudou a sua vida e a realização dos Jogos Olímpicos na capital carioca faria o mesmo com a vida das outras pessoas. "Tudo o que eu consegui em minha vida foi através do esporte", enfatizou Pelé.

Já César Cielo disse que a sua vida mudou desde que ele ganhou a medalha de ouro da prova dos 50 metros na Olimpíada de Pequim, no ano passado. "Se um ano mudou completamente a minha vida eu posso imaginar o que a Olimpíada poderia fazer para toda a América do Sul", ressaltou Cielo.

O Rio está competindo com Chicago, Madri e Tóquio para receber os Jogos de 2016 e o Comitê Olímpico Internacional irá anunciar nesta sexta-feira, em Copenhague, a cidade eleita.

"Aqueles que têm seguido a minha vida viram como o esporte pode mudar vidas. Acho que este é um grande trunfo para os membros do COI", ressaltou Pelé, enquanto Cielo acrescentou que uma nova geração de sul-americanos estaria pronta para receber os Jogos. "Nós (da América do Sul) podemos mostrar que a vitória vem com muito esforço", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.