Pelé sobre Neymar: ''Pode ser melhor que eu''

Rei visita o CT, é assediado pelos jogadores e elogia a joia santista

Sanches Filho, O Estadao de S.Paulo

26 de março de 2009 | 00h00

Neymar vive os melhores dias de sua vida. Jogou um clássico como profissional pela primeira vez no domingo, ganhou a camisa do ídolo corintiano Ronaldo e, ontem à tarde, no CT Rei Pelé, se encontrou com o Rei do Futebol. O garoto foi surpreendido quando estava no campo 3, antes do jogo da noite. Sua primeira reação foi apertar a mão de Pelé e, em seguida, abraçá-lo. Depois, sorridente e incrédulo, pegou o Rei no colo."Foi sensacional, nunca imaginei isso", festejou Neymar, empolgado por conhecer Pelé pessoalmente. Ao marcar o primeiro gol como profissional, na vitória do Santos sobre o Mogi Mirim, por 3 a 0, ele atendeu a um pedido de seu pai e comemorou socando o ar, imitando o gesto do Rei, para homenagear o avô, já falecido, que era santista e fã incondicional do maior jogador de todos os tempos. Ao ver a nova joia santista, Pelé se emocionou e recordou que também começou a sua carreira no Santos quando ainda era garoto, como Neymar. "Fiquei muito feliz com a sua homenagem", agradeceu ao novo camisa 7. "Tomara que você dê muitos socos no ar com a camisa santista e da seleção brasileira", afirmou.Como nos tempos em que foi supervisor do futebol amador do Santos, entre 1999 e 2000, ajudando o clube na descoberta de talentos como Robinho, Diego e Deivid, Pelé deu um conselho especial a Neymar e a André, também promovido no começo do ano. "Nunca esqueçam de que Deus existe, isso é muito importante." À TV Globo, o Rei foi além. "O Neymar mal surgiu e já o comparam com o Robinho e com o Pelé. Eu acho que ele pode ser melhor que o Robinho e que o Pelé, mas é preciso ter calma", disse.A presença de Pelé no Hotel Recanto dos Alvinegros, onde o time estava concentrado para o jogo de ontem à noite, contra o Santo André, na Vila Belmiro, causou alvoroço. Jogadores acostumados a dar autógrafos se transformaram em autênticos tietes. "Ele é o Rei. Temos de tirar foto mesmo", justificou Madson, um dos mais agitados. "Eu tirei foto dele e vou colocar num quadro", disse Triguinho.Até os mais experientes, como Kléber Pereira, não perderam a oportunidade de posar para fotografias ao lado de Pelé. Outros pediram autógrafos em camisas. Atencioso e sorridente, o Rei até deu dicas especiais.Quem também ficou satisfeito com a visita foi o técnico Vágner Mancini, cujo trabalho recebeu a aprovação de Pelé. Ele lembrou que tem amizade com o treinador desde o tempo em que seu filho, Edinho, jogava com ele na Ponte Preta. "Eles fizeram amizade e desde aquela época apreciamos Mancini", revelou Pelé. "Ele tem bom caráter. Com a sua maneira de tratar os jogadores, vai dar alegria muito grande à torcida santista", acrescentou, pedindo que ela não exagere nas cobranças, pois Mancini acabou de assumir o time, após período de turbulência. "Um apoio de peso como o do Pelé vai dar mais confiança para desenvolvermos o nosso trabalho."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.