Pellegrini leva ouro nos 200m livre e impõe 1.ª derrota a Ledecky em Mundiais

Pellegrini leva ouro nos 200m livre e impõe 1.ª derrota a Ledecky em Mundiais

Após 12 vitórias em 12 finais, nadadora norte-americana foi batida em uma edição do Mundial

Estadão Conteúdo

26 de julho de 2017 | 15h14

Um dia após se tornar a nadadora com mais medalhas de ouro na história do Mundial de Esportes Aquáticos, Katie Ledecky viveu outro momento histórico, ainda que decepcionante para ela. Após 12 vitórias em 12 finais, pela primeira vez a norte-americana foi batida em uma edição do Mundial, na prova dos 200 metros livre, que foi vencida pela italiana Federica Pellegrini.

Ledecky havia chegado ao Mundial com o objetivo de conquistar seis medalhas de ouro, igualando o recorde alcançado pela compatriota Missy Franklin no Mundial de 2013. Até esta quarta-feira, a norte-americana havia alcançado metade do objetivo, pois tinha faturado três ouros.

Nesta quarta-feira, Ledecky parecia próxima de nova vitória, mas viu Pellegrini ter desempenho incrível nos últimos 50m para assegurar o ouro dos 200m livre com a marca de 1min54s73 e se vingando da derrota para Ledecky no Mundial de 2015, quando foi superada por apenas 0s16. Agora ela foi 0s41 mais rápida do que a rival. E Ledecky ainda teve de dividir o segundo lugar no pódio com a australiana Emma McKeon, que cravou o mesmo tempo que ela.

"Eu honestamente pensei que Katie venceria a prova. E não venceu", afirmou Pellegrini, garantindo estar surpresa com o seu feito. "É incrível. Eu não acreditava que conseguiria. Eu ainda mal posso acreditar", acrescentou. Ledecky tentou aceitar o revés, minimizando a decepção com o resultado. "Eu sabia que seria uma prova difícil e que teria de realmente fazer uma boa prova e simplesmente não a fiz hoje. Eu realmente não posso reclamar da medalha de prata", disse.

A norte-americana, que já havia sido ouro nos 400m livre, nos 1.500m livre e no revezamento 4x100m livre em Budapeste ainda vai participar dos 800m e do revezamento 4x200m e garante que continua motivada. "Isso acontece. Isso acontece com todas as atletas em algum momento. Eu sei que essa prova vai me motivar para o restante da semana."

ITÁLIA

Outra vitória italiana nesta quarta em Budapeste foi conquistada por Gabriele Detti, medalhista de ouro e novo recordista europeu nos 800 metros com o tempo de 7min40s77. O polonês Wojciech Wojdak foi o segundo colocado, com 7min41s73. Gregorio Paltrinieri, também da Itália, ficou em terceiro lugar, com 7min42s44.

Também nesta quarta, o sul-africano Chad Le Clos faturou a medalha de ouro nos 200m borboleta com a marca de 1min53s33. O húngaro Laszlo Cseh foi o segundo colocado, com 1min53s72, seguido pelo japonês Daiya Seto, com 1min54s21. O brasileiro Leonardo de Deus foi eliminado ainda nas semifinais.

Na última final do dia, a equipe mista dos Estados Unidos quebrou o recorde mundial que havia conseguido nas eliminatórias e também assegurou a medalha de ouro no 4x100 metros medley. O quarteto formado por Matt Grevers, Lilly King, Caeleb Dressel e Simone Manuel marcou o tempo de 3min38s56. O time da Austrália ficou na segunda posição, com 3min41s21, e o terceiro lugar ficou com Canadá e China, pois ambos cravaram 3min41s25.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.