Pelo jogo de abertura, Morumbi muda projeto

Clube teve de adaptar proposta original enviada à Fifa

Amanda Romanelli, O Estadao de S.Paulo

28 de maio de 2009 | 00h00

Para que a capital paulista receba a partida de abertura da Copa de 2014, o projeto arquitetônico do Estádio do Morumbi foi revisto. Mudanças no setor de imprensa e também na área vip - destinada a autoridades e convidados - foram realizadas pelo arquiteto Ruy Ohtake, autor da proposta de reforma da arena são-paulina. Incluindo até a cobertura do estádio, algo que não é exigido pelo caderno de encargos da Fifa, mas atende a um desejo dos dirigentes tricolores.Não é à toa que o presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, está tão convicto de que o Cícero Pompeu de Toledo será o palco do duelo inicial em 2014. Assumiu essa posição oficialmente, anteontem, ao responder a rumores de que o estádio estaria com um projeto inadequado aos olhos da Fifa, e assim, seria vetado para a Copa. "O Morumbi não só será sede como também receberá a abertura. Essa é uma afirmativa minha." A decisão da entidade que rege o futebol, contudo, só será conhecida em 2011. Não sairá no domingo, quando serão divulgados os nomes das 12 cidades-sede do Mundial.Segundo apurou o Estado, a Fifa não fez má avaliação do Morumbi. Teria até informado às partes interessadas que o projeto do estádio contemplava as necessidades de um jogo de quartas de final, por exemplo. Mas, com intervenções tímidas, não atenderia plenamente a uma abertura. O projeto atual, com mudanças, ainda não foi levado para a Fifa - aquele que foi enviado à entidade tinha custo estimado em R$ 180 milhões.Uma das modificações diz respeito aos lugares da imprensa. O setor dos jornalistas, que funciona na arquibancada térrea azul, continuaria no mesmo pavimento, mas seria ampliado. Na revisão, foi mudado para o setor intermediário, para melhorar a vista geral do gramado. A mesma mudança de pavimento ocorrerá na área vip. Os dirigentes da Fifa e os convidados, que vão ocupar os setores especiais, serão recepcionados em uma área até então não contemplada no projeto - o clube social. Os salões do local destinado aos sócios vão receber instalações temáticas e funcionarão como hospitality center.Até a cobertura do estádio mudou. Sem profissionais experientes no País para esse tipo de construção, o São Paulo buscará especialistas no Japão. Os pilares de sustentação do teto, que ficariam evidentes na parte externa do Morumbi, foram retirados.MODIFICAÇÕESÁreas de imprensa e para convidados: não serão mais no pavimento térreo. Foram mudadas para o anel intermediárioRecepção vip: aproveitará a estrutura do clube social, onde serão instalados espaços temáticos para os convidadosCobertura: o São Paulo buscou ajuda japonesa. Pilares externos que davam sustentação à cobertura foram retirados. A construção será interna

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.