''Pensei que fosse famoso no Brasil''

Irônico, piloto inglês Lewis Hamilton chega de surpresa a São Paulo e só sai do quarto do hotel no fim da tarde

Daniel Brito, O Estadao de S.Paulo

29 de outubro de 2008 | 00h00

Enquanto o brasileiro Felipe Massa participa de uma maratona de eventos de promoção na semana do GP do Brasil, seu rival, o inglês Lewis Hamilton saiu apenas uma vez ontem de seu quarto, no Hotel Hilton, no Morumbi. O piloto da McLaren chegou de surpresa na manhã de ontem a São Paulo e ainda ironizou. "Disseram que eu estava famoso no Brasil e não tem ninguém para me receber aqui", disse ao site globoesporte.com, no desembarque no Aeroporto de Guarulhos.O Hotel Hilton montou um truculento esquema de segurança para receber o líder do campeonato mundial e limitou o trabalho da imprensa no local. Ficou determinado que não é permitido abordar os pilotos no hall e as fotos não podem focar a entrada do Hilton, muito menos seu interior. Os funcionários foram desautorizados a passar qualquer informação a respeito da rotina dos hóspedes ilustres. Além da McLaren, as equipes da BMW Sauber, Renault e Red Bull estão no Hilton. No início da tarde de ontem, quando a reportagem do Estado tentou entrevistar Heikki Kovalainen, parceiro de Hamilton na McLaren, um segurança do hotel interrompeu o diálogo, proibindo o piloto de responder. Antes de entrar no elevador, escoltado pelo segurança, o finlandês deu sua rápida opinião sobre a corrida de domingo, em Interlagos. "Correr no Brasil, com Massa na pista, vai ser muito interessante", disse, despedindo-se.FUSO HORÁRIOHeikki apareceu no hall do hotel novamente no final da tarde, acompanhado de uma mulher. Sem dar declarações, Hamilton desceu por volta das 19h15 e permaneceu cerca de 30 minutos no saguão do hotel, antes de sair em uma Mercedes cor prata, acompanhado de dois amigos. O piloto pode ter tirado a tarde para se adaptar ao fuso horário de quatro horas a menos do Brasil em relação à Inglaterra. O único evento promocional que deve fazer até sexta-feira, quando começam os treinos livres no Autódromo de Interlagos, é de uma marca de whisky na noite de amanhã. Hamilton dirigirá um táxi para promover na Vila Olímpia a campanha "O Piloto da Vez". Uma pessoa será levada pelo atual líder do Mundial da F-1 pelas ruas de São Paulo. Com 94 pontos, sete a mais que Felipe Massa, o inglês pode chegar até na quinta colocação na prova, caso o brasileiro vença, para levar o título de campeão mundial. ACELERADASA Federação Internacional de Automobilismo (FIA) reagiu às ameaças da Ferrari de abandonar a Fórmula 1, caso seja adotado um modelo padrão de motores para todas as equipes a partir de 2010. "A Ferrari não foi bem informada. A FIA ofereceu três opções às equipes. Uma delas é o motor padrão. Em outra, as montadoras podem garantir o fornecimento de kits com motor e caixa de câmbio para as equipes independentes por menos de 5 milhões de euros (US$ 6,26 milhões) por ano. O avanço da tecnologia não pára na Fórmula 1. A novidade agora serão os painéis eletrônicos para sinalização, que vão, em um futuro próximo, substituir os tradicionais bandeirinhas. No GP do Brasil, quatro unidades desta novidade estarão sendo testados.Independentemente do resultado obtido em no Autódromo de Interlagos, domingo, Ron Dennis está satisfeito com o desempenho da McLaren na temporada de 2008. "Todos merecem os parabéns. Os títulos de pilotos e construtores teriam um significado especial e coroaria todo o trabalho que foi feito nos últimos 12 meses", disse o dirigente, referindo-se aos problemas de espionagem do ano passado, quando sua equipe foi multada em US$ 50 milhões (R$ 62,6 milhões). O finlandês Kimi Raikkonen admitiu que não teve um desempenho de campeão na atual temporada. O piloto da Ferrari, que chega a Interlagos sem chance de conquistar o segundo título consecutivo, fez uma autocrítica. "É preciso anotar todos os erros e aprender com eles. Não tive muitos momentos positivos, mas vou tentar mais uma vez em 2009."Ross Brawn, diretor da Honda, acredita na recuperação da equipe japonesa em 2009 a partir do GP do Brasil. "Trabalhamos muito e voltaremos a ser competitivos." Na atual temporada, a equipe soma 14 pontos, dos quais 11 foram com Rubens Barrichello.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.