?Pequenos? roubam cena do boxe mundial

A principal categoria do boxe está carente. Com a decadência dos norte-americanos Mike Tyson e Evander Holyfield e a aposentadoria do britânico Lennox Lewis, os pesos pesados passam por um período de estiagem. Mas isso não significa que a nobre arte esteja em crise. Com grandes duelos, os "baixinhos" das categorias mais leves mantêm a emoção.Só como exemplo, o terceiro duelo entre o mexicano Marco Antonio Barrera e o norte-americano Eric Morales, pela categoria dos penas, em novembro, vendeu 375 mil pontos no sistema pay-per-view, enquanto a supernoitada de pesados no Madison Square Garden, envolvendo Holyfield, Chris Byrd, John Ruiz, André Golota, entre outros, no mesmo mês, não interessou a mais de 120 mil assinantes.Para 2005, o sucesso está garantido com um calendário repleto de grandes lutas. Dia 22 de janeiro, o meio-médio-ligeiro Floyd Mayweather bateu Henry Bruseles, em Las Vegas. Uma semana depois foi a vez do canadense Arturo Gatti, que enlouquece o público com suas performances sangrentas, superar Jesse James Leija. No dia 5 de fevereiro, o agitado meio-médio Zab Judah venceu a revanche contra o filho de Leon Spinks e sobrinho de Michael Spinks, Cory Spinks.No próximo sábado os amantes do boxe poderão ver em ação o norte-americano Bernard Hopkins, que aos 40 anos fará sua 20ª defesa de título entre os pesos médios, contra Howard Eastman. O mês de março promete ser eletrizante. Dia 5, poderemos ver em ação o futuro adversário do brasileiro Acelino Popó Freitas. Julio Diaz unifica o cinturão dos leves diante de Jose Luis Castillo.Impacto profundo - Duas semanas depois, no dia 19, o impacto promete ser profundo quando os penas Manny Pacquiao, das Filipinas, e Eric Morales, dos EUA, se colocarem frente a frente no ringue do MGM Hotel, em Las Vegas. No mesmo dia, o meio-médio-ligeiro porto-riquenho Miguel Cotto, apontado em seu país como o sucessor de Felix Trinidad, encara o norte-americano DeMarcus Coley. Trinidad luta dia 14 de maio contra o norte-americano Winky Wright. Enquanto os "pequenos" incendeiam o boxe pelos ringues, os grandalhões pesos pesados buscam um sucessor para a geração Holyfield, Lewis e Tyson. Mas está muito difícil.

Agencia Estado,

12 de fevereiro de 2005 | 11h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.