Pequim ainda lhes custa caro

Para Dunga, desempenho fraco na Olimpíada prejudica confiança em Pato e Hernanes

Eduardo Maluf, TERESÓPOLIS, O Estadao de S.Paulo

27 de março de 2009 | 00h00

"A temporada do Milan teve muitos problemas, mas um ponto positivo: o Pato, que se firmou como grande jogador e titular absoluto da equipe." O comentário de Kaká define bem o momento de Alexandre Pato, que tem apenas 19 anos e já é ídolo na Itália. Hernanes, de 23, vive sua melhor fase no São Paulo. O que os dois têm em comum, além de serem jovens e talentosos? Eles ainda pagam pelo fraco desempenho da seleção nos Jogos de Pequim. Acesse o canal das Eliminatórias e leia mais sobre todas as seleções Dunga ficou decepcionado com o trabalho deles, que seriam, em sua visão, os líderes da equipe ao lado de Ronaldinho Gaúcho. Não foram bem, e o Brasil caiu na semifinal ao perder por incontestáveis 3 a 0 da Argentina. Restou o consolo da medalha de bronze, algo de pouca relevância em se tratando de seleção brasileira.O espaço de Pato e Hernanes na equipe nacional diminuiu depois da Olimpíada, embora venham liderando suas equipes, Milan e São Paulo, respectivamente. Por isso, Hernanes nem sequer foi chamado para as partidas contra Equador e Peru, pelas Eliminatórias, e Pato é reserva de Robinho, criticado por seu futebol aquém do esperado no Manchester City.É certo, no entanto, que em pouco tempo Pato e Hernanes vão recuperar lugar na seleção e são nomes fortes para a Copa da África do Sul, ano que vem.DESABAFO E CONTUSÃOQuem também tenta recuperar prestígio é Adriano. O atacante da Inter de Milão tem aparecido ultimamente mais no noticiário por suas baladas do que propriamente pelos gols.Ontem, Adriano desabafou na Granja Comary. Demonstrava estar irritado com a divulgação de uma festa que organizou em sua nova mansão no Rio, na segunda-feira, dia em que estava de folga. "Tem gente que faz por maldade. Qual o problema de eu dar uma festa? Estava de folga e ninguém tem nada com isso", declarou. "Às vezes é difícil ter fama."No coletivo realizado ontem os titulares venceram os reservas por 4 a 2, com três gols de Luís Fabiano e um de Robinho. Os suplentes Adriano e Pato também fizeram o deles.O zagueiro Lúcio deixou o treinamento com dores na perna direita e foi substituído por Miranda. De acordo com o médico da seleção, José Luiz Runco, no entanto, o problema não deve tirá-lo do confronto com o Equador, no domingo, em Quito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.