Pequim aumenta salário de operários para finalizar obras

O Governo chinês promoverá no mês de fevereiro um aumento de 30 a 100% no salário dos operários que trabalham nas obras para os Jogos Olímpicos de 2008, com o objetivo de cobrir a demanda necessária para cumprir os prazos estabelecidos. Os organizadores da competição pretendem entregar as construções prontas até o final deste ano. Segundo a agência de notícias Xinhua, os operários recebem atualmente 31 ou 32 iuanes por dia (US$ 4). Porém, poucos são especializados, já que 70% dos 120 milhões de imigrantes chineses procede da agricultura. Os novos salários, publicados numa circular do Comitê de Construção de Pequim (CCP), são baseados em estudos de mercado e servem de referência para as empresas do setor de construção. A cidade tem atualmente mais de um milhão de trabalhadores imigrantes, dos quais cerca de 300 mil nas construções olímpicas. Ao longo do ano passado surgiram denúncias de várias pessoas estavam meses sem receber. Na semana passada, Sui Zhenjiang, subdiretor do "Projeto Pequim 2008", assegurou que medidas foram tomadas para garantir que todos os trabalhadores envolvidos em construções recebessem seus salários a tempo. Ele também desmentiu informações sobre uma suposta expulsão destes operários durante as duas semanas de duração dos Jogos, para melhorar a imagem da cidade durante a competição. O dirigente também deixou claro que serão tomadas amplas medidas para garantir uma boa qualidade do ar durante os Jogos - em Pequim, a atmosfera fica normalmente muito rarefeita pela grande quantidade de obras realizadas. Atualmente, a capital chinesa vive um amplo processo de renovação de seus 31 recintos esportivos para a disputa da Olimpíada, que começa em agosto de 2008.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.