Pessoa deixa escapar tetracampeonato

Rodrigo Pessoa, com Baloubet du Rouet, esteve bem perto de conquistar o seu quarto título consecutivo da Copa do Mundo, nesta segunda-feira, mas o tetracampeonato escapou de suas mãos na terceira e última passagem do dia, em um desempate direto contra o suíço Markus Fuchs, de 45 anos, que ganhou a competição pela primeira vez, segundo definiu, a mais importante da carreira, e o prêmio de US$ 60 mil. Pelo segundo lugar, Rodrigo ficou com US$ 30 mil, mas nem a premiação serviu de consolo para o cavaleiro que representa o Brasil. Rodrigo, de 28 anos, deixou a Scandinavium Arena muito aborrecido, ao lado do pai Nélson Pessoa.Logo após a prova, no paddock, cumprimentou Markus Fuchs pelo título, tomou um copo de água, e foi para a premiação. Na volta, foi consolado por um beijo da noiva Keri, deu uma entrevista para a tevê e a caminho da entrevista coletiva de encerramento da Copa do Mundo - que reuniu um público de 80.800 pessoas em cinco dias - foi comentando a prova com o pai. "A falta no tríplice na segunda passagem me custou o campeonato", lamentou Rodrigo, que não tinha mais unha para roer.Montando Baloubet du Rouet, Rodrigo terminou o primeiro percurso, hoje, sem faltas, mas na segunda passagem derrubou um obstáculo tríplice, largo, e foi punido com 4 pontos. "O cavalo foi precipitado ao fazer a curva e o Rodrigo chegou no obstáculo com uma distância muito ruim, sem possibilidade de impulsão total", observou Neco.Rodrigo ocupava o segundo lugar na classificação geral, na soma das duas primeiras provas, com apenas 1 ponto perdido. Mas com os 4 que levou pela falta no tríplice passou a ter 5.O inglês Michael Whitaker, de 41 anos, com Handel II, que chegou ao último dia liderando a disputa da Copa, com zero, cometeu duas faltas, perdeu 8 pontos e saiu da briga pelo título. O suíço Markus Fuchs, que estava classificado em terceiro, com 3 pontos, não fez falta em nenhum dos percursos de hoje, mas perdeu 2 pontos por excesso de tempo e ficou com 5.Pela terceira vez, nos 23 anos de história da Copa do Mundo, o título foi decidido no desempate (como ocorreu nas edições de 1979 e 1996).Markus Fuchs entrou primeiro na pista - fez um percurso rápido (35s25) e perfeito, sem faltas. "Eu vi o percurso do Markus e ele não deixou nenhuma brecha, foi no milímetro, perfeito. Eu tinha de jogar tudo na disputa", comentou Rodrigo, que ao fazer isso fez duas faltas seguidas e desistiu do desempate, ficando com o título de vice-campeão da Copa do Mundo.Na prova de hoje, a vitória foi do suíço Willi Melliger, com Calvaro V, o único que não perdeu pontos por faltas, mas foi o quarto colocado na Copa do Mundo (com 10 pontos perdidos), depois do inglês Michael Whitaker, o terceiro (com 8 pontos perdidos).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.