´Pessoa não pode perder o Pan´, diz ministro do Esporte

A polêmica envolvendo a desistência do cavaleiro Rodrigo Pessoa de disputar os Jogos Pan-Americanos chegou ao governo federal. O ministro do Esporte, Orlando Silva Júnior, afirmou nesta segunda-feira que o campeão olímpico na prova de saltos ?não pode ficar fora do Pan? e revelou estar trabalhando para demovê-lo da idéia de não participar do evento no Rio, de 13 a 29 de julho.?Tenho me empenhado para trazê-lo, porque sua ausência seria uma grande perda para a competição?, comentou Orlando Silva, depois de palestra na FMU (Faculdades Metropolitanas Unidas), em São Paulo. O ministro disse ter conversado sobre o assunto com o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman. E contou que Nuzman já tomou providências, entre elas falar com o pai de Rodrigo, Nelson Pessoa. ?Precisamos tomar medidas para termos os melhores competidores do nosso País aqui, seria triste ficar sem ele no Pan.?A polêmica envolvendo o hipismo no Pan começou há duas semanas, quando a Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) anunciou que três dos cinco representantes brasileiros no evento seriam definidos por meio de duas seletivas no País, decisão favorável aos cavaleiros que não têm condições de competir no exterior. As vagas sempre foram preenchidas de acordo com colocações em concursos internacionais.Rodrigo não concorda com as mudanças no critério de classificação - o novo sistema prejudica os competidores que disputam concursos mais fortes na Europa e os obriga a vir ao País para participar da seletiva - e decidiu abrir mão da vaga. Ele considera que a seletiva não formaria o melhor time. ?Como sempre, todo mundo reclama por vagas no Brasil, então vou dar a minha?, explicou, há dez dias.Rodrigo e Bernardo Rezende já têm lugar garantido no Pan por estarem entre os 20 primeiros do ranking mundial. Os outros três classificados sairão de duas seletivas, em São Paulo (de 18 a 21 de maio) e no Rio (de 31 de maio a 6 de junho). A CBH confirma, por enquanto, a realização dessas provas.BasqueteOrlando Silva declarou ter esperança de que o basquete brasileiro possa contar com seus principais jogadores, como Leandro Barbosa e Anderson Varejão, hoje na NBA. E contou ter pedido o máximo esforço da Confederação Brasileira de Basquete (CBB), embora a probabilidade de sucesso não seja grande. Leandrinho, por exemplo, disse considerar difícil sua liberação por parte do Phoenix Suns.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.