Pessoa pode herdar ouro de irlandês

O desenlace do caso de doping do cavalo Waterford Crystal, que montado pelo irlandês Cian O?Connor formou o conjunto ganhador da medalha de ouro na prova de saltos dos Jogos Olímpicos de Atenas, no ano passado, pode estar perto. Neste domingo, O?Connor, após vários adiamentos, finalmente comparecerá diante dos árbitros do Comitê Judicial da Federação Eqüestre Internacional (FEI), para prestar depoimento.Se O?Connor for considerado culpado pelas acusações de ter montado um cavalo dopado, o brasileiro Rodrigo Pessoa, que saltou com o cavalo Baloubet du Rouet em Atenas, ficando com a medalha de prata, herdará o ouro para o Brasil. Caso ganhe mais esse ouro, o País subirá da 18ª para a 16ª posição no quadro geral de medalhas da Olimpíada grega, passando Holanda (17ª) e Noruega (16ª). Os juízes prometem anunciar a decisão ainda neste domingo, enquanto Rodrigo Pessoa e Baloubet saltam no Grande Prêmio do Concurso Internacional de Gotemburgo, na Suécia.A punição pode variar desde uma multa à eliminação do cavaleiro e, conseqüentemente, a anulação do resultado em Atenas. Nesse caso, a FEI indicará ao Comitê Olímpico Internacional (COI) que a medalha de ouro seja transferida para Rodrigo. Mas O?Connor ainda terá o direito de recorrer da sentença à Corte Arbitral do Esporte (CAS), o que levaria Rodrigo a uma espera de mais três meses. A FEI já havia proposto várias datas para ouvir o irlandês, que alegava dificuldades para comparecer diante do Comitê. Por isso, a audiência acabou sendo marcada para o domingo de Páscoa.O exame antidoping feito no cavalo Waterford Crystal detectou a presença de substâncias tranqüilizantes (flufenazina e suclopentixol) proibidas porque podem facilitar o controle do animal. Uma parte da amostra de sangue, quando estava sendo transportada para um laboratório em Londres, foi roubada, envolvendo as polícias da Suíça, Inglaterra e França no caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.