PF prende advogado que vazou grampos

A Polícia Federal prendeu ontem um advogado, de iniciais D.F.M. (nome e idade não foram divulgados), acusado dos crimes de receptação e divulgação de segredo de Justiça.O advogado negociava CDs com as gravações da Operação Perestroika da PF, que investiga a parceria Corinthians-MSI. O pacote com os 84 CDs estava sendo vendido por R$ 250 mil. "Pessoas entraram em contato com ele querendo comprar os áudios", contou o delegado Ricardo Saad, que prendeu o advogado. "Algumas se diziam representantes de meios de comunicação." Saad não soube dizer se foi esse advogado quem vazou as gravações da PF para alguns órgãos de imprensa.Os áudios foram obtidos originalmente por outro advogado, com autorização da Justiça. "Este passou os CDs para outra advogada. E foi o estagiário dela quem repassou para o homem que foi preso", explicou Saad. Todos os envolvidos estão sob investigação da PF.José Luiz Toloza, advogado de Alberto Dualib e Nesi Curi - dois réus no processo - garantiu ao Estado não ter retirado os CDs, apesar de ter autorização para tal.

Martín Fernandez, O Estadao de S.Paulo

27 de outubro de 2007 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.