Patrick Semansky/AP
Patrick Semansky/AP

Phelps pega um ano de prisão, mas tem pena suspensa

Nadador, multimedalhista olímpico terá que cumprir um ano e meio em liberdade condicional por dirigir embriagado

Estadão Conteúdo

19 de dezembro de 2014 | 18h07

O nadador Michael Phelps por pouco não parou atrás das grades nesta sexta-feira. Ele foi condenado a um ano de prisão por ter dirigido embriagado há quase três meses, em Baltimore, mas a pena foi suspensa logo depois. Em troca, o norte-americano multimedalhista olímpico terá que cumprir um ano e meio em liberdade condicional.

Phelps se declarou culpado no julgamento desta sexta, se mostrou arrependido e seu advogado destacou o esforço do nadador para se manter sóbrio desde que foi detido. O norte-americano ficou 45 dias em um centro de tratamento no Arizona e os médicos do local escreveram uma carta elogiando sua atitude.

Além disso, Phelps compareceu a reuniões dos Alcoólicos Anônimos e realizou terapia em Maryland. "Agora tenho as ferramentas para superar isto. Eu estive mal e cometi um grande erro. Estou entusiasmado por ter um futuro mais brilhante do que meu passado", disse o nadador ao juiz nesta sexta.

O juiz Nathan Braverman se mostrou compreensivo, mas alertou que uma nova derrapada de Phelps o colocará atrás das grades. "Você não necessita de um sermão da corte. Se você ainda não entender a mensagem, ou se esquecer da mensagem, então a única alternativa é a prisão", declarou.

Phelps foi detido no fim de setembro após ser flagrado sob influência de bebida alcoólica, quando saia de um cassino na cidade de Baltimore. De acordo com as informações da polícia, o nadador trafegava a 135 km/h, velocidade que foi detectada por um radar, em uma área em que o limite é de 72 km/h.

Assim, policiais pararam Phelps, que dirigia uma Land Rover, logo após ele passar por uma praça de pedágio. O nadador, então, foi acusado por exceder o limite de velocidade, de estar embriagado e também por cruzar as linhas de pista dupla do túnel.

De acordo com as autoridades locais, Phelps cooperou com os policiais. Posteriormente, ele foi liberado. Esta é a segunda vez que o nadador olímpico enfrenta uma acusação de dirigir embriagado em Maryland - a outra foi em 2004.

O nadador é o maior campeão olímpico de todos os tempos, tendo conquistado 22 medalhas, sendo 18 de ouro. Após quase dois anos de aposentadoria, Phelps voltou a competir no último mês de abril. Ele venceu os 100m borboleta no Pan Pacífico, e levou a prata no 200m medley na competição, a mais importante da temporada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.