Phelps supera raiva e bate recorde

Um dia depois de perder o ouro nos 200 m livre, americano vence com folga os 200 m borboleta em Roma

Valéria Zukeran, O Estadao de S.Paulo

30 de julho de 2009 | 00h00

Se Michael Phelps não é mais insuperável em competições internacionais, pelo menos mostrou grande poder de reação ontem, no Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos de Roma. Um dia depois de perder a final e o recorde mundial nos 200 metros livre para o alemão Paul Bidermann, o americano se reabilitou ao conseguir medalha de ouro na prova da mesma distância, porém no estilo borboleta. E com a melhor marca de todos os tempos, 1min51s51. Acesse e confira mais imagens do Mundial de Esportes AquáticosPhelps comemorou apontando o dedo indicador para cima (à la Ronaldo Fenômeno) e revelou como superou a decepção da noite anterior. "Uma coisa boa de ter o hábito de disputar várias provas numa mesma competição é que nunca tive tempo de ficar pensando no passado", explicou o multicampeão. "Assim, foi fácil me desligar e só pensar na prova que tinha pela frente." Phelps revelou qual foi a estratégia para conquistar seu primeiro ouro em provas individuais em Roma. "Tentei abrir distância o mais que pude nos primeiros 100 metros e aumentar a vantagem sobre os adversários até os 150 metros." No restante da prova, ele se limitou a administrar o resultado.O técnico de Phelps, Bob Bowman, disse que seu pupilo estava particularmente inspirado para a prova de ontem. "Quando ele está com bom astral, como ocorreu, sempre podemos dizer que algo como isso (medalha de ouro com recorde mundial) pode acontecer." O treinador anunciou a pretensão de fazer com que Phelps dispute provas em jardas até o fim do ano. Treinador e pupilo tiveram discurso oposto ao da véspera. Ambos estavam irritados com a perda do ouro e Bowman chegou a ameaçar tirá-lo de competições. O brasileiro Kaio Márcio participou da decisão e terminou em 4.º, com 1min54s27. "Acho que fiz boa prova. Estou satisfeito", declarou.Ontem mais recordes mundiais foram quebrados. Além do de Cameron van der Burgh nos 50 metros peito e o de Phelps, também cravaram novas marcas Lin Zhang (China) nos 800 m livre, 7min32s12; Federica Pellegrini (Itália) nos 200 m livre, 1min52s98; Anastasia Zueva (Rússia), 50 m costas, 27s38 e Mary Descenza (EUA), 200 m borboleta, 2min04s14.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.