Phelps: 'Trajes permitiram reduzir alguns centésimos'

'Sem dúvida, ajudaram a baixar alguns centésimos, mas sem trabalho duro não são o suficiente', diz

EFE

16 de abril de 2008 | 10h20

O nadador americano Michael Phelps, que conquistou oito medalhas olímpicas, reconheceu que os novos maiôs da Speedo, o LZR Racer, que para alguns nadadores influíram nos recordes obtidos nos últimos meses, "ajudaram a reduzir alguns centésimos". "Sem dúvida, ajudaram a baixar alguns centésimos", declarou Phelps em entrevista ao jornal esportivo italiano La Gazzetta dello Sport. O americano afirmou que usa os maiôs da marca, "mas sem trabalho duro não são o suficiente". Veja também: Entenda como funciona o macacão LZR Racer Vote: o macacão deve ser considerado como doping?No entanto, não considera que se trate de um privilégio para poucos nadadores, pois "o maiô está à disposição de qualquer um que quiser usá-lo". A Federação Internacional de Natação (Fina) confirmou no sábado passado que os novos maiôs da Speedo cumprem as normas e aprovou seu uso. A polêmica cerca os novos modelos de maiôs - feitos de um material que repele a água -, que foram acusados por alguns atletas e técnicos de terem influenciado os vários recordes registrados nos últimos meses. Sobre a hipótese de um boicote aos Jogos Olímpicos de 2008, em Pequim, Phelps se limitou a dizer que se trata de um evento magnífico: "O mundo se reúne e existe a convivência na Vila Olímpica com atletas de outras culturas. Não saberia dizer outra coisa", declarou. Quanto a seu estado físico e psicológico, o americano afirma que se sente "mais relaxado" do que quando competiu nos Jogos Olímpicos de 2004, em Atenas: "Sei o que me espera em Pequim e como reagirei ao assédio da imprensa, aos esforços na piscina e à pressão". O técnico Bob Bowman afirma que Phelps tem "mais força física, responde bem a um programa (de competição) mais intenso e melhorou muito no nado peito". A relação definitiva das provas das quais o nadador participará nos Jogos Olímpicos só será anunciada após as eliminatórias que acontecerão nos Estados Unidos, explica. "Optaremos pelas especialidades nas quais sabemos que as chances de vencer são mais altas", declarou Phelps. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.