Phelps volta ao pódio e passa a ser o maior medalhista da história

Após ficar em segundo nos 200m borboleta e ganhar o ouro no revezamento 4x200m, nadador passa a ter 19 medalhas em Jogos

CIRO CAMPOS, O Estado de S. Paulo

31 de julho de 2012 | 15h56

O nadador americano Michael Phelps bateu nesta terça-feira um novo recorde na carreira e superou a ex-ginasta russa Larissa Latynina como o dono do maior número de medalhas olímpicas: 19 contra 18. A confirmação do feito veio após duas medalhas na piscina do parque aquático dos Jogos de Londres

 

A primeira foi a prata nos 200 m borboleta e a outra foi o ouro no revezamento 4x200 m livre. O americano de 27 anos tem agora 15 medalhas de ouro, número até agora não alcançado por qualquer outro atleta. Completam a coleção dele duas pratas e outros dois bronzes.

A carreira olímpica fulminante de Phelps começou em Atenas, 2004, quando apenas aos 19 anos ele assombrou o mundo ao ganhar seis medalhas - incluindo três recordes olímpicos e dois mundiais.

A confirmação do potencial de Phelps veio quatro anos mais tarde, quando em Pequim ele superou o recorde de número de ouros do também nadador americano Mark Spitz, ao ganhar as oito provas que disputou e chegar ao número de 14, contra nove do ex-recordista.

Os feitos alcançados nesta terça-feira reforçam o status de grande atleta. Phelps ainda tem mais três provas para disputar nos Jogos e pode aumentar a coleção de medalhas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.