Philippoussis, da fama e riqueza à depressão

Australiano fez sucesso, ganhou milhões e perdeu tudo

Giuliander Carpes, O Estadao de S.Paulo

20 de julho de 2009 | 00h00

Boa pinta, viajava o mundo para jogar tênis, conhecia mulheres bonitas e acessíveis e ainda tinha muito dinheiro no bolso. Mark Philippoussis viveu um sonho. Finalista do US Open de 1998 e de Wimbledon em 2003, conseguiu amealhar US$ 7 milhões (R$ 14 milhões) só em premiações e nunca lhe faltaram meios para gastar sua fortuna. Dedicado a viver "a vida louca", até se mudou para Las Vegas. E lá, aos 32 anos, o australiano, ex-número 8 do mundo, acordou depois de torrar sua fortuna. "O dinheiro vinha de todos os lados. Eu tinha uma vida fácil, a vida que se sonha ter. Na época eu achava normal, mas está muito longe de ser normal", diz o ex-jogador. A fonte secou. "A situação está complicada. Financeiramente é difícil."Junto da conta no vermelho veio a decepção. "Mais importante do que o lado financeiro é o mental", explica o campeão da Copa Davis com a equipe australiana em 1999 e 2003. "Não diria que estou lutando contra a depressão, mas, se me perguntarem se eu sofri de depressão nos últimos dois anos e se eu surtei sobre várias coisas, a resposta seria sim."O bon vivant, que há três anos não disputa torneios, terá de voltar às quadras para tentar se reerguer financeira e psicologicamente. Mas não tem mais condições físicas e técnicas de disputar o circuito que lhe deu fama e dinheiro. Apelará para a Champions Series, disputada competição de veteranos que reúne estrelas do calibre de John McEnroe, Sergi Bruguera, enfim, campeões de Grand Slam. Não será fácil."Não jogo tênis desde 2006", comenta, reconhecendo o desleixo de ter abandonado o esporte que lhe deu tudo. "E tênis é daqueles esportes nos quais, se você não joga, você não é pago. É o momento mais difícil da minha vida."DE VOLTA À VIDAPhilippousis tinha um potente saque e ia bem à rede. Com a fama, conquistou cada vez mais beldades - que também lhe causaram algumas derrotas. Tentará aliar o antigo bom jogo ao seu carisma para se recuperar. Terá de ser dentro de quadra. O melhor que sabe fazer é jogar tênis. E o australiano não vê a hora de se recuperar. "Acordei para muitas coisas. Quando eu der a volta por cima vou apreciar bem mais a vida. Eu caí, mas vou dar a volta por cima." QUEM É ELE Nome: Mark Anthony Philippoussis Nascimento: 07/11/1976 Local: Melbourne, Austrália Residência: Las Vegas, EUA Altura: 1,96 m (103 kg) Ano de profissionalização: 1994 Melhor ranking: 8.º lugar, em abril de 1999 Retrospecto: 313 vitórias e 204 derrotasTítulos: 11 - Toulouse (1996), Queen?s, Scottsdale e Munique (1997), Memphis (1998), Indian Wells e San José (1999), San José (2000), Memphis (2001), Xangai (2003) e Newport (2006) Grand Slams: finalista do US Open (1998) e de Wimbledon (2003)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.