Pirelli passa a fornecer os pneus a partir de 2011

NICE

Livio Oricchio, O Estado de S.Paulo

24 de junho de 2010 | 00h00

Como nos três próximos campeonatos as equipes vão pagar pelo uso dos pneus, não foi fácil chegar a um acordo sobre qual proposta era melhor para a Fórmula 1, se da Pirelli, Michelin ou Cooper Avon, as três inscritas na concorrência. Venceu a opção dos times, a Pirelli, e não a da FIA, a Michelin. Portanto, sai a Bridgestone e entra a Pirelli, que deixou a F-1 em 1991, quando conquistou, no Canadá, com Nelson Piquet, da Benetton, sua 44.ª vitória na competição.

Mas a principal novidade da F-1 em 2011 visando a elevar o espetáculo será a possibilidade de o piloto alterar a inclinação do aerofólio traseiro nas manobras de ultrapassagem, a fim de facilitá-las.

O Conselho Mundial da FIA anunciou também ontem, em Paris, que pilotos cujos tempos de classificação para o grid superarem em 107% o tempo do mais veloz no Q1, a primeira parte do treino, não poderão participar da corrida. O objetivo é evitar carros muito lentos, o que pode comprometer a segurança.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.