Piscina dos Jogos vai ganhar um teto

O governo e a Federação de Natação gregos assinaram um contrato para construir a cobertura da piscina olímpica. O teto, que não constava do acordo entre o Comitê Organizador dos Jogos e o Comitê Olímpico Internacional, tornou-se uma exigência da Federação Internacional de Natação, preocupada em proteger atletas e público do calor por volta dos 40 graus do verão grego, e das emissoras de TV, preocupadas com a qualidade da transmissão.A esperança dos organizadores é que, agora, a obra prossiga sem mais atrasos - a empresa anteriormente contratada para o serviço se declarou incapaz de concluir o projeto em razão de problemas técnicos.Na verdade, os telhados parecem ser responsáveis pelas maiores dores de cabeça do Comitê Organizador dos Jogos. A construção da cobertura de vidro e aço do Estádio Olímpico, projeto do arquiteto espanhol Santiago Calatrava, está tão atrasada que ameaça os tradicionais testes das instalações - que já foram adiados -, realizados antes dos Jogos. Sem o teto, não é possível pensar na pista - antes, é preciso tirar máquinas e tratores do caminho. Preocupado, o presidente do COI, Jacques Rogge, já declarou que a cobertura não é essencial para a realização da Olimpíada, o que irritou Calatrava.As instalações do ciclismo também correm o risco de não ter testes. O prazo para a conclusão do velódromo é 15 de maio, com um evento-teste em junho. O teto (projeto de Calatrava) está sendo construído ao lado do velódromo, mas só poderá ser instalado depois de a pista ficar pronta.

Agencia Estado,

02 de março de 2004 | 18h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.