Lee Jin-man/AP
Lee Jin-man/AP

Pista de Daegu é aprovada, a três meses do Mundial

Evento-teste na cidade sul-coreana reuniu estrelas da modalidade e uma brasileira, a velocista Bárbara Farias

AMANDA ROMANELLI, O Estado de S.Paulo

13 de maio de 2011 | 00h00

A pouco mais de três meses do Mundial de Atletismo, a pista do Estádio de Daegu já foi testada por muitos dos competidores que lá voltarão em agosto. Na arena quase toda coberta (70% da área está livre das intempéries), palco de duelos da Copa do Mundo de 2002, foi realizado ontem o Meeting Pré-Mundial, e com a presença de uma atleta brasileira: Bárbara Farias.

A velocista de 20 anos competiu nos 100 m e os 200 m e terminou ambas as provas em 7.º lugar. Na primeira disputa, vencida pela americana Carmelita Jeter, encerrou a distância em 12s10. Depois, dividiu a pista com Allyson Felix, atual campeã mundial dos 200 m, de quem ainda ganhou um abraço. Bárbara fez a marca de 24s29 (a segunda melhor de sua carreira), enquanto a americana venceu com 22s38, o melhor tempo do mundo nesta temporada.

Bárbara contou ao técnico Marcelo Lima, que não a acompanhou na Coreia do Sul, que só conheceu a pista durante a competição - os treinos foram realizados na pista auxiliar. Mas atestou a qualidade do piso, novo (inaugurado em dezembro de 2010, foi utilizado ontem pela primeira vez) e rápido. Os organizadores garantem que Daegu possui, hoje, a pista de mais avançada tecnologia no mundo, a mesma que será usada no Estádio Olímpico de Londres, para os Jogos de 2012.

A brasileira disse, também, que o fato de o estádio ser quase todo coberto praticamente zerou a incidência dos ventos, o que favorece o desempenho dos atletas. "Ela não percebeu nenhuma interferência, nem positiva e nem negativa, durante as provas", afirmou Marcelo.

Esta peculiaridade do Estádio de Daegu é, inclusive, uma aposta da Federação Internacional de Atletismo (IAAF). A entidade acredita que tempos ainda mais rápidos que os de Berlim, no Mundial disputado em 2009, possam ser conquistados a partir de 27 de agosto, data inaugural da competição. Foi no Estádio Olímpico alemão que o jamaicano Usain Bolt revalidou os recordes mundiais dos 100 m (9s58) e 200 m (19s19).

Participação recorde. Na semana passada, a IAAF anunciou que o Mundial de Daegu deve ter número recorde de participantes. Dentre as 212 federações nacionais filiadas, 201 afirmaram ter intenção de mandar atletas para a Coreia do Sul.

Considerado o terceiro maior evento esportivo do mundo, situando-se após os Jogos Olímpicos e a Copa do Mundo, a disputa sul-coreana distribuirá cerca de US$ 7 milhões (R$ 11,4 milhões) em prêmios. Aqueles que conseguirem, além do ouro (que vale US$ 60 mil - ou R$ 97,4 mil), um recorde mundial, um prêmio extra no valor de US$ 100 mil (R$ 162,3 mil) será concedido.

Números. 201 federações nacionais, dentre as 212 filiadas à IAAF, afirmaram ter intenção de enviar atletas para o Mundial de Daegu, em agosto. R$ 11,4 milhões serão gastos em premiações na Coreia do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.