Ali Haider/EFE
Ali Haider/EFE

Planos de realizar finais da natação às 22h no Rio 2016 são criticadas

Técnicos e nadadores dizem que mudança de horário para atender exigências da TV norte-americana prejudica fisicamente os atletas

SAM HOLDEN, REUTERS

08 de dezembro de 2014 | 14h45

Os planos de realizar as finais da natação nos Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro no final da noite são "ultrajantes", disse o técnico da equipe inglesa de natação, Jon Rudd, se juntando a uma campanha contra esse plano.

A agenda definitiva de competições ainda não foi oficialmente aprovada pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), mas a entidade já anunciou que os planos para realizar provas valendo medalha já foram aprovados para atender ao horário da televisão norte-americana.

O plano, que colocaria o início de algumas finais às 22h para maximizar a audiência nos Estados Unidos, já provocou críticas do presidente do Comitê Olímpico Australiano, John Coates, que disse que o horário implicaria uma "exigência não razoável" aos atletas.

Rudd juntou sua voz à campanha "Diga Não à Natação Noturna", que está ganhando força entre atletas e treinadores ao redor do mundo."É ultrajante. A melhor maneira de descrever isso é desrespeitosa com os atletas, desrespeitosa com o evento e ao que a Olimpíada significa", disse ele ao site swimvortex.com.

Rudd, que também treina a nadadora lituana Ruta Meilutyte, campeã olímpica dos 100 metros nado peito, disse que haverá questões sérias provocadas pelo horário noturno das finais.

"Se você está me perguntando se é a decisão correta, se os nadadores foram consultados e se o desempenho dos atletas foi levado em conta ao se tomar essa decisão, então não", disse."Agora, vamos ter que viver com isso, mas é uma vergonha que essa tenha sido a decisão a qual chegamos como esporte", acrescentou.

"É um resultado realmente frustrante. Também parece haver muito jogo de empurra: o COI dizendo que é a Fina, a Fina dizendo que é o COI, e ambas dizendo que os atletas estão de acordo com isso, quando eles claramente não estão. É uma vergonha", afirmou."Para muitos, esse será o auge de suas carreiras e eles podem não ter o ambiente correto para talvez produzir a performance que você esperaria que eles produzissem", acrescentou.

Não seria a primeira vez que as finais da natação da Olimpíada são alvo de críticas. Nos Jogos de Pequim em 2008 as provas tiveram seu horário alterada e foram disputadas pela manhã para coincidir com o horário nobre das TVs nos Estados Unidos, apesar da reclamação de atletas. As provas decisivas na Olimpíada de 2012 em Londres começavam no máximo às 21h.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.