Playoff tem início e embola luta pelo título

A disputa do título da Stock Car embolou com a vitória de Ricardo Maurício ontem, na etapa de Curitiba, a primeira das quatro do playoff que definirá o campeão da temporada. Com o triunfo no autódromo paranaense, o piloto da Medley/WA Mattheis alcançou Marcos Gomes (da Medley/A Mattheis), que chegou em segundo ontem. Ambos somam 245 pontos. No entanto, Ricardinho leva a melhor no primeiro critério de desempate, com quatro vitórias contra duas. A próxima etapa do playoff será apenas dia 9 de novembro em Brasília.Ricardo Maurício largou na pole position e se aproveitou da disputa de posição de quem vinha atrás para trabalhar com mais tranqüilidade. Porém, nem tudo foi fácil. "Meu carro estava muito difícil de dirigir na parte final da prova. Tive muita sorte, já que o Marcos estava sendo pressionado pelo Camilo (Thiago Camilo, da Vogel/Texaco)", comentou. Gomes atribuiu o seu resultado a um melhor acerto do carro de Maurício. "Minha última chance de ultrapassá-lo acabou quando o carro engasopou (o motor engasgou) na saída dos boxes (no reabastecimento) e perdi alguns segundos", lamentou. "Por isso, chegar na segunda colocação foi positivo", ponderou. Camilo fez uma largada arrojada e chegou a ultrapassar Gomes, mas não foi capaz de manter a segunda posição. "Foi bastante difícil acompanhar os carros do Andreas (Mattheis, chefe das duas equipes da Medley)", contou o piloto, que manteve a terceira posição na classificação geral, com 232 pontos. A seqüência da tabela é a seguinte: Giuliano Losacco (223), Átila Abreu (217), Cacá Bueno (214), Valdeno Brito e Popó Bueno (212), Allan Khodair (208) e Alceu Feldmann (207). No fim da tarde, a Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA) desclassificou Feldmann e Khodair, que disputam o playoff, além de Rodrigo Sperafico porque sobrou mais de 1,5 litro de gasolina na garrafa de abastecimento de seus carros. Daniel Serra foi desqualificado por atitude antidesportiva no acidente com Antonio Jorge Neto. O piloto terá que pagar uma multa de R$ 5 mil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.