PM aumenta esquema para garantir a paz. E visitante dobra seus homens

A Polícia Militar (PM) de Santos garante que a paz prevalecerá no clássico de hoje. Para não ver suas palavras serem desmentidas, aumentará seu efetivo no jogo para cerca de 300 policiais, mais o apoio da Força Tática, do Canil, da Cavalaria e do Grupamento Aéreo. "Vamos intensificar o policiamento. A gente tem experiência nesse tipo de acontecimento e em tumultos", afirmou o tenente Lima, do 6º BPM/I. "Nosso Batalhão está preparado para agir de forma eficiente", assegurou.O exemplo de eficácia vem de duas semanas atrás, quando o Palmeiras visitou o Santos pela semifinal. Os 1.259 palmeirenses entraram no estádio no horário, viram o jogo com toda tranquilidade e sem sustos.Mesmo com a promessa de garantia de paz, o Corinthians vai para Santos com o dobro dos seus seguranças. Normalmente, seis homens protegem o elenco. Agora, serão 12, para que as promessas do presidente santista, de que "vocês (corintianos) sofrerão na Vila", após tumulto no jogo do Pacaembu, não se confirme. "Vamos dar uma reforçadinha para garantirmos segurança a toda comissão técnica", revelou o coronel Waldyr Dutra, chefe da segurança do Corinthians.Realmente um número não tão alto. Semana passada, 30 seguranças protegeram Marcelo Teixeira no Palestra Itália."Dificilmente temos problemas em Santos. Normalmente as coisas ocorrem com tranquilidade", garantiu Dutra. "Mas já conversamos com a PM local e eles nos garantiram total apoio para que nada de ruim aconteça", enfatizou.A recomendação da PM santista é para que a torcida corintiana chegue à Vila Belmiro antes do meio-dia, de modo que a revista não atrase a entrada de todos no estádio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.